quarta-feira, 17 de outubro de 2007

Abstinência de Palavras

Levar uma vida espiritual não é tarefa fácil. Estamos aqui na terra para encontrar a nossa relação com um único ser espiritual. Dá a mesma coisa que o chamemos “Deus”, “Ala”, “Pai”, “Grande Espírito” ou “Ser Supremo de Luz”, a essência é sempre a mesma. Apesar da actual tendência para viver de uma maneira natural ainda uma parte da sociedade está aferrada num modo de vida materialista, que perpetua a visão de que as coisas só são boas se são de marca ou se têm custado uma quantidade exorbitante de dinheiro. A verdade, os valores, o conhecimento e o amor não custam dinheiro, mas o preço que muitos pagam por ignorar estes elementos em si próprios e nos outros é excessivamente elevado.

The Mind...

The mind is filled
With memory,
Good times, bad,
And then there's some---
They make no sense,
And the mind's wiped clean
Again,
Shifting from one question
To another,
And they all remain
Unanswered still,
The mind evades
What is unknown,
But it fails to see
All ends,
Blockaded in the fear
Of it never ending,
And times do change
But is it enough?
Thought flows through,
Like a distant stream,
The waters of the mind
Now break the dam,
A torrrent of confusion
Now flows free,
RestraintIs out of grasp,
It's a dangerous thing---
The mind,
Destructive and hateful,
The waters
can never be calmed.