sábado, 29 de março de 2008

Uma questão de educação..


Actualmente, tenho à minha frente um claro exemplo das práticas parentais actuais. Há uns dias atrás falava com a minha mãe: “a educação de antes era melhor do que a educação actual”. Quando falávamos disto nos referíamos à educação que os pais de hoje em dia tentam dar aos seus filhos. Lembrei-me logo do carácter da minha mãe e a rigidez do meu pai nos tempos da escola. Dos olhares fulminantes da minha mãe para eu me comportar como tinha que ser, pois “existiam regras que deviam cumprir-se dentro e fora de casa”. Hoje em dia um pai faz isto e o mínimo que pode acontecer é que o filho deixe em ridículo ao pai, rindo-se e mostrando a todos a “cara de macaco” que tem. Olhando para os tempos que correm, os pais de hoje em dia não conseguem controlar aos filhos, alegam: “são crianças, não se podem controlar…”. Na minha opinião não se trata de controlar, trata-se essencialmente de educar! Que criança poderá ter a noção do que é melhor para ela? Os pais certamente têm que dar orientação. Há crianças que hoje em dia são capazes de bater na mãe ou no pai, simplesmente, por falta de carácter por parte dos mesmos. Ter carácter e mostra-lo não é sinonimo de bater, muitas vezes estes dois conceitos não são discriminados correctamente. A verdade é que há crianças que com apenas 12 anos de idade já pensam que podem fazer o que lhes apetece (no mau sentido da palavra). Há adolescentes que seguem um caminho torto e o lema dos pais é: “não quero criar um homossexual na minha família”. Há pais que pensam que os filhos têm que aprender pela sua própria experiência. Mas nem por isso dão orientação necessária para prevenir as fraudes dos filhos. Há que pensar bem nesta situação porque aquilo que os pais não sabem é que os adolescentes aprendem na rua o que nunca lhe foi ensinado em casa. Se pensam que arrojar o filho à rua é a melhor opção para não criar um homossexual (“um mariquita” – como eles próprios dizem) estão enganados. À volta de qualquer rua podemos encontrar exactamente isso e mil outras coisas diferentes. Se estas crianças não tiverem a orientação e as bases para poder distinguir o que é bom e o que é mau, o que é que querem para elas e o que não…. o resto é só arrependimentos por parte dos pais!! “Eu não sei porque este filho meu me saiu tão mal-educado”… digam-me uma coisa, o que é que faz um adolescente de 15 anos na rua às 5h da manhã?!? Se um adolescente esta reprovado, o que é que faz quando vai a escola? O que é que faz um adolescente encerrado no seu quarto horas a fio sem nenhum contacto com a família? Porque os pais autorizam todas as saídas deste adolescente? Porque não criam limites? Porque não mostram carácter? Porque não educam aos seus filhos?!? Porque esperaram chegar a esta situação? Há coisas que se podem prevenir com um investimento desde os primeiros anos de vida. A adolescência é uma etapa de especial autonomia e diferenciação do “eu”, mas e os pais o que é que fazem para contribuir na adaptação do adolescente? Será esta uma forma eficaz de educar? Afinal o que é que pretendem criar? Em fim, há coisas que me deixam sem palavras e tão revoltada….

Sem comentários:

Enviar um comentário

Que pensas sobre isto? Desejas partilhar algo parecido? Concordas ou não?
Obrigada pela visita!