segunda-feira, 28 de abril de 2008

10 minutos olhando para o sol...

Estar no balcão e contemplar a luz de um sol radiante e quente é umas das coisas mais fantásticas que podem haver para pensar e reflectir.. fechar os olhos e pensar nesse instante faz tão bem.. assim que hoje me propus fazer isso mesmo… fechei os meus olhos e comecei a pensar, pensar na vida, nas coisas que ainda tinha que fazer, nas coisas que algum dia penso fazer e pensei nesse único dilema que tantas vezes me tenho confrontado a diário – pensei – há alturas na nossa vida em que tudo parece um conto de fadas com nuvens e estrelas por todos lados… Tudo parece perfeito e exactamente no seu devido lugar… um único sitio, uma única verdade – comecei a pensar – as cores ainda estão espalhadas por todo o meu quarto, espalhadas sem definição, espalhadas esperando ser recolhidas, espalhadas simplesmente esperando que o azul e o amarelo se conjuguem para dar luz ao verde desesperançado que já progrediu e só encontrou um arco-íris de possibilidades infinitas…. O que é que eu faço? Deixo-me levar pelo azul e o amarelo? Deixo que o verde progrida? Deixo ficar e que o tempo faça o que tem que fazer? Tento usurpar ou controlar o que os meus instintos e coração gritam ao ouvido? Ou começo a dar mais atenção à minha racionalidade mental?!? Como considerar uma e outra posição sem ter que dizer: “afinal não devias ter dado ouvidos aos teus instintos, afinal não era bem isso, afinal tudo não era mais do que uma ilusão hipotecada”. Como saber se as forças herméticas do Universo algum dia vão jogar ao meu favor? Como saber se cada vez me sinto mais confusa em relação ao meu futuro em todos os sentidos... quando digo todos, são todos mesmo.. quer o profissional, quer o emocional, quer o espiritual.. e agora?!
Foi com este último pensamento que um dia de luz radiante e um calor de verão me levaram de novo a minha posição inicial… novamente estou a 3 metros de não conseguir perceber as minhas virtudes e a 3 metros de perceber que afinal saber não chega e que no fundo não é absolutamente nada.. Conclusão: é melhor continuar a estudar para o teste de 3ª feira!! LOL

domingo, 27 de abril de 2008

Pessoas Agressivas..

Ora bem, hoje tive a oportunidade de ver à minha frente uma pessoa agressiva. Fiquei a olhar para ela fixamente com um olhar de quem lhe apetecia espancar alguém, mas por dentro eu própria me dizia: "cuidado que ainda sais daqui espancada tu!" - Os meus medos não conseguiram ultrapassar estupidez parecida... Em fim, estas pessoas se comportam em defesa dos seus próprios interesses sem ter em conta nem os sentimentos nem as opiniões dos outros, disso eu já tenho um curso de doutoramento na Universidade da Vida.. nada novo para mim!! Na verdade, estas pessoas adoptam um comportamento tão ameaçante e ofensivo que são capazes de pisar aos outros sem considerar absolutamente nada. Olhando para aquela pessoa, muitas outras pessoas vieram à minha mente, personagens que nunca olvidarei... ver aquela pessoa em acção fez com que me perguntasse mil e uma vez: “porque não ouves, porque não escutas, porque tens que ser assim?!?" - Uma pergunta que ainda hoje em dia continua em aberto para muitas pessoas que já conheci e fizeram ao meu lado um trajecto cheio de buracos irreparáveis...
Na nossa sociedade actual muitas vezes confunde-se ou se associa os comportamentos agressivos com a imagem de uma pessoa segura de si mesma, com auto-estima alta, ideias claras e forte personalidade. Nada mais longe da realidade, pois tão desadaptativo é o comportamento agressivo como o passivo. Cada vez estou mais convencida que ambas posturas denotam problemas de relação. Incluso poderia dizer que muitas das pessoas que se comportam de forma agressiva se sentem na realidade muito mais inseguras ou vulneráveis que as passivas. Usar uma atitude defensiva como couraça para nos proteger e defender dos comentários ou comportamentos dos outros é importante, mas caros amigos acho que há limites para tudo…