domingo, 13 de julho de 2008

The union of thought and emotion

Sabemos que há algo de poderoso no nosso interior, mas porque não o conseguimos utilizar?
Penso que cada um de nós tem barreiras de qualquer tipo. Mesmo quando trabalhamos muito com nós próprios e retiramos os obstáculos continuam aparecendo novas barreiras. Por vezes encontramos em nós tantos defeitos que chegamos a pensar que não valemos o suficiente e que nunca o conseguiremos.. Logicamente se encontramos coisas negativas em nós, também as encontraremos nos outros. Precisamos de eliminar barreiras e aprender algo diferente, algo que ainda muitos não sabem. Quando tomamos consciência e compreendemos todo este caótico mundo através de um processo individual, sabemos qual é a direcção que devemos tomar. Todos temos desafios nas nossas vidas. Todos, sem excepção... Ninguém passa pela escola da vida sem encontrar-se com situações potencialmente desafiadoras. Alguns têm desafios com a sua saúde, outros com as suas relações, outros com a profissão, outros são desafios económicos. E por vezes ainda encontramos aqueles que têm desafios em todas essas áreas. Mas porque estes desafios? Quais os obstáculos que podem estar a travar?

Pensemos nas nossas pautas de comportamento, nos nossos problemas, nas coisas que nos travam. Observemos em qual das categorias entram: Será na critica? Será no temor? Será na culpa? Ou será no ressentimento? - Estas são as nossas grandes maestras. Qual é a tua preferida? É temor o que sempre surge? Ou é culpa? És critico ou rancoroso? - É uma combinação entre duas, três ou das quatro?

Segundo alguns autores o rancor é raiva acumulada.. é o resultado quando muitas vezes não expressamos o que realmente sentimos. Não podemos negar os nossos sentimentos. Não podemos ignora-los confortavelmente. As nossas experiências sempre reflectem as nossas crenças internas. Literalmente podemos olhar nossas experiências e determinar quais são as nossas crenças. Pode resultar algo perturbador fazê-lo mas se observamos às pessoas com quem nos relacionamos veremos que todas elas reflectem alguma crença sobre nós próprios. Se continuamente nos criticam é porque provável sejamos críticos com nós próprios ou tal vez os nossos pais nos criticavam muito quando crianças. Todos temos pautas de comportamento que se iniciaram na família, de modo que é muito mais fácil culpabilizar aos nossos pais, a nossa infância ou ao nosso entorno, mas isso simplesmente nos mantém travados. Não conseguimos liberar-nos, seguimos uma e outra vez perpetuando o papel de vitima e os mesmos problemas de sempre, que seguem e seguem repetindo-se uma e outra e outra e outra vez...

Só eu é que posso mudar uma e outra vez a minha forma de pensar, sentir e actuar

Só eu é que posso mudar uma e outra vez a minha forma de pensar, sentir e actuar

Só eu é que posso mudar uma e outra vez a minha forma de pensar, sentir e actuar

Categoricamente posso fazê-lo...

2 comentários:

  1. Adoro blogs pretos. E o teu não foge à regra.
    Agora a sério, belo espaço para exercitar a mente.
    Parabéns.

    ResponderEliminar
  2. Oláaa Miguel Ângelo :) Muito Obrigada pelo teu comentário.. Também gosto dos blogs pretos, não é por nada mas ficam muito bem! ;)) É um autêntico prazer para mim conhecer as impressões dos outros relativamente ao meu blog.. Volta sempre :)

    ResponderEliminar

Que pensas sobre isto? Desejas partilhar algo parecido? Concordas ou não?
Obrigada pela visita!