domingo, 31 de agosto de 2008

Pasando el Niagara en Bicicleta..

Lamentablemente ayer fue un dia para recordar el resto de mi vida. El concierto por el que tanto habia esperado no fue posible asistir. Motivo tan simple como este "entradas agotadas.." Bueno... seguiré escuchando y bailando Juan Luis Guerra com mi MP3 (lol)


Celebrando en la noche de Juan Luis Guerra :)
Se nos subió la bilirrubina ;))

quarta-feira, 27 de agosto de 2008

Lasanha de Espinafres


Adoro vegetais!! :) Um prato para deleitar-se.. Um óptimo sabor para estas férias!!
Deixo-vos a receita
- 16 laminas de lasanha
- 1/2 kilo de espinafre congelado
- 2 colheres de azeite de oliva
- 100 gr de tocino (o mais magro posível)
- 1/2 litro de bechamel
- 1 Ovo
- Queijo

Modo de confeição:
1. Enquanto se fazen as laminas de lasanha, segundo as instruções da embalagem, coloca-se o espinafre a cozer durante 10 minutos. Este é posteriormente escorregado e cortado em pedaços pequenos. Coloca-se a cebola e o tocino (em quadros) na sarten com duas colheres de azeite. Pode-se deitar também um pouco de alho em pó e condimentos ao gosto. Depois de um par de minutos, quando tudo está bem dourado, incopora-se o espinafre com 8 colheres de salsa bechamel. Mistura-se tudo e deixa-se 5 minutos mais ao lume. No fim, verificar o sal e se necesario condimentar melhor.

2. A montagem é simples, colaca-se uma capa de massa e sobre esta um tercio dos espinafres, colocase bechamel, queijo, fiambre (se quiser) e repetir este procedimento varias vezes. No fim acaba-se com uma capa de massa, bechamel e queijo. Aconselho vivamente bater um ovo e deita-lo por cima de forma uniforme antes de levar ao forno. Deixar 15/20 minutos no forno a 180 graus.
BOM APETITE!! :)

segunda-feira, 25 de agosto de 2008

Expo-Zaragoza II (Fotos dos Paises)


Uma rigorosa selecção de fotografias dos Países visitados na EXPO2008. Uma experiência inesquesível :) Ainda falta...

continuará

sábado, 23 de agosto de 2008

Expo-Zaragoza I (Fotos del Recinto)





Hoje foi mais um dia na EXPO2008 de Zaragoza. Uma experiência realmente gratificante.. momento para descansar, momento para conhecer outras culturas, línguas, pessoas e estilos de vida. Às 10h30 a porta do recinto abriu e deu inicio a mais um dia de conhecimento, aventura e entretenimento. Posso dizer que o mais gratificante começa logo desde o momento em que fazes a fila para entrar. Filipinos à minha volta com chapéus extravagantes, Árabes com batas características, Espanhóis com o seu tom de voz bem alto, Franceses com mapas nas mãos, Portugueses falando baixinho, Alemães com bolsos enormes e no meio daquela confusão toda, eu.. fazendo também parte daquela mistura inter-cultural! Identificando-me com uns e não com outros, sentindo-me igual que eles e ao mesmo tempo tão diferente. É quase perfeito poder ver a grande diversidade de culturas num único sítio e tudo ao mesmo tempo. Cada pais tem um aroma, um som e uma luminosidade diferente. Hoje o meu olfacto teve a oportunidade de cheirar os melhores incensos, ervas e especiarias, cheiros que se misturavam com "Parrilla" ao sair de Marrocos e entrar em Uruguai. Luminosidades diferentes, países com matizes mais escuros como os de Mauritânia e outros bem mais luminosos como "China". Pedras de todo tipo em "Tunísia" e esculturas únicas na "Índia". Sensações de arrepio em "Egipto", sensações de relax em "Malásia". Vontades de comer em "Italia" e dormir em "França". Levo comigo o som dos filipinos e o ritmo da Samba dos brasileiros. Levo uma experiência única e as vontades de querer viajar por países como "Indonésia", "Tailândia", "Turquia", "Nepal" e "Índia".

quinta-feira, 21 de agosto de 2008

I want to be like a butterfly for one day..

Pequena, delicada e frágil.. Asas que se abrem e voltam a fechar. Um abrir e fechar de olhos e já não estas. Vais de flor em flor, vais deixando o teu alimento mais completo e valioso. Vais como se nada te cansasse. Vais deixando o que atormenta, vais largando o passado. Durante segundos ficas distante, quieta e te calas. Toda a costelação de movimentos se paralizam.. um harmonioso abrir e fechar se torna sensível perante os meus olhos. Não sei se consigo ver-te, pareces transparente ou és apenas uma miragem? No silêncio remoto de um clima cálido e espesso voltas a retomar a dança. Uma dança de partida, uma nova dança. O sol se apaga e a semi-escuras começas uma nova viagem indefinida. Lentamente como autentica borboleta partes para sítios onde apenas tu podes chegar.
Não me importava nada ser durante um dia como uma borboleta!

quarta-feira, 20 de agosto de 2008

Frozen


As vezes ficamos a saber coisas que preferíamos nunca antes ter sabido.. somos ingénuos ao pensar que estamos num mundo em que tudo pode ser completo. Somos ingénuos por pensar que as pessoas podem ser sempre tal como sempre foram. A verdade é que as pessoas mudam. Algumas mudam para melhor, outras para pior... Todas carecemos de alguma coisa. Somos seres incompletos e defeituosos por natureza. Nunca sabemos se na verdade as pessoas mudam ou simplesmente sempre dissimularam a sua real personalidade. As vezes penso que aquela pessoa que sempre esteve ao meu lado e que me deu em repetidas ocasiões lições importantes, um cálido abraço e protecção é alguém que pode ser um completo desconhecido neste momento. Um ser capaz de fazer coisas inimagináveis e que pese ao seu repentino e anormal comportamento me deixa muito a desejar. Sei que nem todos passamos pelas mesmas circunstâncias, nem todos passamos pelas mesmas situações favoráveis/desfavoráveis de vida, mas sinceramente isso não justifica qualquer comportamento brutal da nossa parte. Agressão não pode levar a mais agressão, violação não pode levar a mais violação, mortes não pode levar a mais mortes.. o ciclo tem que acabar e era boa idea que alguém parasse de responder sempre com a mesma moeda. Gostava de poder olhar para ti e que me dissesses na minha cara se realmente eras capaz de fazer isso. Gostava poder ouvir os teus olhos a falar.. gostava acreditar que é tudo uma peça de teatro. Onde aprendestes a dissimular tão bem? Começo a juntar cada momento e agora tudo faz mais sentido… Gostavas que fosse a tua filha quem estivesse nesse momento à tua frente? Gostava saber se realmente eras capaz de despedaçar a vida de outra pessoa em pró do teu arrebatado ego. Tenho muitas questões cujas respostas só tu me podes oferecer. Gostava saber porque?

domingo, 17 de agosto de 2008

Ice feelings



Há dias em que não precisamos ouvir nada mais! Hoje foi um deles.. a tormenta acalma e volta aparecer quando menos espero. Os pensamentos dormidos e anestesiados com um antídoto quase perfeito parecem já não suportar a dose. É novamente na tendência de um precipício e de picos pontiagudos que decide voltar o mais frio e inquietante reflexo de sempre. Como azeite e agua num copo transparente, como café marcado numa chávena, como açúcar sem sabor, como limão com toque de sal, como relógio em sentido contrário, como flor sem raiz, como água congelada e papel em pedaços. Como sentidos que se perdem e não encontram lugar quente nas imediatas percepções. Sentidos sem orientação. Sentidos com goteiras de água. O dia acaba com a humilde sensação de gesso pulverizado.

quinta-feira, 14 de agosto de 2008

Subsistir vs.Viver


Neste momento encontro-me num cantinho de uma grande habitação.. procuro isolar os meus pensamentos daquele torvelinho circunstancial.. procuro simplemente alguma resposta.. Depois de organizar melhor o meu raciocínio, afinal pergunto-me qual é o verdadeiro problema da subsistência? Qual é a fronteira entre a necessidade e o desejo? Subsistir… verbo que não gosto de pronunciar. Será subsistir sinónimo de ganhar o necessário para cobrir as nossas próprias necessidades? Alimento, vestido e vivenda? Não gosto deste termo.. Subsistir, verbo que significa “continuar a existir”; “conservar-se”; “manter-se”. Não pretendo dar uma aula de linguística com isto.. pelo contrario, penso que é absurdo dar uma carácter constante ao acto de viver. Viver, respirar e sentir que estas vivo.. viver porque acordas e caminhas, viver porque o médico diz depois de tomar o pulso que os signos vitais anunciam que estas vivo. Viver porque respiras e és uma massa de moléculas en total sintonia.. viver porque é a vida! Tenho que dizer que viver não é estar vivo.. Vivemos apenas porque temos esse combustível absurdo que nos faz mover por aí?!? Vivemos porque podemos abrir os olhos?!? Vivemos por inercia própria?!? Vivemos com dificuldades ou sem elas?!? Afinal o que é isto de viver? É subsistir?!?

A dificuldade da subsistência surge quando apenas utilizamos as coisas essenciais da nossa vida, alimento, vestido e vivenda, como meio de agressão psicológica. Isto é, quando as pessoas se valem das coisas necessárias como meio de engrandecer-se a si próprios.. Detesto isso.. A nossa sociedade não se baseia essencialmente na distribuição do essencial mas antes na sua exaltação.. utilizam o essencial como exaltação de si próprios. Em que direcção vamos como sociedade?!? É obvio que poderia produzir-se em abundância o alimento, o vestido e a vivenda; tecnicamente é possível. Mas a demanda da guerra é maior. Será brutal contentar-se simplesmente com a distribuição do essencial? Poderia ser assim se descobríssemos no nosso interior que as fontes de vida só existem dentro de nós e que não precisamos mais além do que já temos. Nada, nada mais..

terça-feira, 12 de agosto de 2008

In peace..

Porque não podemos desfrutar de uma segurança perfeita e uma paz plena neste mundo? Será porque estamos todos num plano relativo? Por vezes penso e acabo por concluir que tudo está condicionado pelo tempo e o espaço. Afinal, onde podemos encontrar a segurança plena e uma paz perfeita? Desde o meu ponto de vista, a paz verdadeira e mais profunda é independente das condições externas. A paz verdadeira é a quietude da nossa alma. Se descansamos neste oceano de paz, tudo aquilo que é ruído habitual dificilmente nos pode afectar. Se penetramos no silencio ou na calma, silenciando aquela mente ruidosa, travando os pensamentos e abstraindo os sentidos.. tudo aquilo que representa ruídos, desaparecem. Se vivêssemos em paz.. o mundo caótico de estímulos no qual estamos habituados a estar (os carros, as crianças gritando, o trem passando). Qualquer som não poderá afectar no mais mínimo o nosso estado.

Cada vez estou mais convencida que a paz é o tesouro mais necessário no nosso planeta terra. É o maior dos tesouros em todo o universo. É o factor mais importante e indispensável para qualquer crescimento e desenvolvimento. Só para dar um bom exemplo, é na tranquilidade e na quietude da noite quando a semente brota do solo. A flor abre na profundidade das horas silenciosas. De igual forma, neste estado de amor e paz, as pessoas podem evoluir, crescer nas suas respectivas culturas e desenvolver uma civilização. Se cada homem tentasse trabalhar pela sua própria salvação, não haveria ninguém que pudesse criar problemas. Se cada homem se esforçasse em praticar e alcançar a realização pessoal e colectiva, não tenho dúvidas que a inclinação global da sociedade e do planeta inteiro seria outra e não o conflito. Estou segura que com a paz interna se podem alcançar coisas maravilhosas...
A paz não pode ser mantida à força.
Somente pode ser atingida pelo entendimento - Albert Einstein

segunda-feira, 11 de agosto de 2008

Rosario - No Dudaria

Si pudiera olvidar
Todo aquello que fui
Si pudiera borrar
Todo lo que yo vi
No dudaría
No dudaría en volver a reír
Si pudiera explicar
Las vidas que quite
Si pudiera quemar
Las armas que use
No dudaría
No dudaría en volver a reír
Prometo ver la alegría y
Escarmentar de la experiencia
Pero nunca, nunca mas
Usar la violencia
Si pudiera sembrar
Los campos que arrasé
Si pudiera devolver
La paz que quité
No dudaría
No dudaría en volver a reír
Si pudiera olvidar
Aquel llanto que oí
Si pudiera lograr
Apartarlo de mí
No dudaría
No dudaría en volver a reír
Prometo ver la alegría y
Escarmentar de la experiencia
Pero nunca, nunca mas
Usar la violencia

segunda-feira, 4 de agosto de 2008

EXPO 2008 - ICEBERG

Uma mensagem de sensibilização.. há uns dias atrás decidi ver o espectaculo que dá cabo da minha cabeça todos os dias à mesma hora de sempre (22h30). Uma mensagem de sensibilização, uma mensagem que não é capaz de chegar a todo tipo de público, uma mensagem com efeitos impressionantes e uma arquitectura extraordinaria. Estou segura que o realizador desta obra é um verdadeiro artista. Deixo-vos aqui os videos que encontrei no YOUTUBE. Cada um é capaz de fazer uma interpretação diferente do espectaculo. Alguns criticam e não atribuem significado, outros simplesmente se aterrorizam e ainda existem aqueles que na tentativa de ver o que está por trás do espectaculo se esquecem que a realidade na qual vivemos actualmente é essa. O nosso planeta esta cada vez mais fragmentado e nós somos os únicos responsaveis disso. Somos observadores supremos do que se passa a nossa volta. A destruição do nosso planeta leva uma velocidade acelerada. Esta fragmentando-se en episódios cada vez mais complexos.. são quadros de uma única mentalidade, de uma única actuação.. Apesar de tudo o que temos feito com o planeta, ele ainda nos dá o seu melhor. Estamos todos a tempo de mudar e produzir câmbios efectivos nas nossas práticas ambientais. Estamos a tempo de introduzir mudanças radicais e evitar que o futuro dos nossos filhos, netos, tataranetos, etc, etc... seja negro e desesperançado. Estamos a tempo.. mas a mudança tem que começar o mais rápido possível.

Parte 1/3 - Iceberg
Parte 2/3 - Iceberg

Parte 3/3 - Iceberg