sexta-feira, 26 de setembro de 2008

Um momento de pleno silêncio..

Já passaram alguns dias desde que cheguei a Portugal. Alguns acontecimentos importantes se foram juntando. Irresistivelmente à minha vontade de querer escrever pregou-se a um estilo de vida incompatível às novas tecnologias. Os dias de descanso acabaram oficialmente. As saídas, os cafés, as conversas a fio, as confidências, a união que sempre nos caracterizou, o apoio incondicional, o compartir das dificuldades de sempre, o “estar” disponível na sua plenitude.. tudo acabou. A ausência das minhas irmãs já se faz sentir no meu quarto. Começa uma nova rotina, começa um novo percurso, começa um novo desafio de forma individualizada. Cada um procura o seu caminho. Eu sei, têm razão.. as vezes o que mais precisamos é o que dificilmente poderemos voltar a ter. Concordo, ficam-nos as memórias, trajectórias, os acontecimentos, as personalidades e as personagens… fica-nos uma família desfragmentada que tenta conservar a sua essência, fica-nos apenas a necessidade de continuar tentando. Ficam-nos as memórias de sempre, memórias que acompanharão o silêncio dos meus pensamentos. Pergunto-me constantemente qual será o rumo, como serei capaz de dizer NÃO, como serei capaz de dizer SIM; pergunto-me como serei capaz de ouvir palavras que tanto me custa ouvir, pergunto-me como serei capaz ignorar a resposta. Pergunto-me e prefiro não responder agora… Agora não posso, agora apenas sinto a minha criança interna emergir, sinto o seu desconforto, sinto o seu choro, sinto como sente perder, sinto como sente o mundo à sua frente, sinto a sua desorganização e sinto a sua irrefutável necessidade de refúgio..

2 comentários:

  1. Eu não tenho irmãos pelo que não sei o que é ter de deixá-los e ir viver para outro lado, mas se me custa assim tanto deixar outras pessoas próximas, imagino como seria se tivesse que deixar os meus irmãos. Fácil não deve ser de certeza. Mas para isso tens agora os amigos. Um amigo em nada substitui um irmão, mas as dificuldades e os problemas são sempre melhor suportados quando estamos acompanhados por pessoas que gostam verdadeiramente de nós.O silêncio é algo bom, mas por vezes calar as coisas e mante-las pessoais só aumenta as nossas angústias.Falar pode ser um autêntico exercício de libertação em todos os sentidos - digo-o por experiência própria mesmo.
    Isso tudo para dizer que mesmo com as tuas irmãs um pouco longe, continuas a ter muita gente que gosta imenso de ti e que está lá para partilhar contigo tanto as conversas, como os silêncios.
    beijinhos e bom fim-de-semana!!***

    ResponderEliminar
  2. Não é nada facil Zlati, mas pronto.. tem que ser! Obrigada pelas tuas palavras. Sei que tens toda a razão do mundo..
    bom fim de semana para ti tb!!beijinhos***

    ResponderEliminar

Que pensas sobre isto? Desejas partilhar algo parecido? Concordas ou não?
Obrigada pela visita!