terça-feira, 30 de setembro de 2008

Pontos vermelhos e amarelos...


Desde sempre pensei que as cores são o meu universo. Falar de cores é uma das coisas mais maravilhosas que existem… O nosso mundo se organiza num arco-íris perplexo cheio de multiplicidades sensoriais. Sempre acreditei no poder (por assim dizer) das energias emitidas por determinadas cores. Nunca tive uma cor preferida (ou melhor dito), nunca tive uma cor que fosse “a minha cor”. Nunca tive um armário apenas cor-de-rosa, azul, vermelho ou verde. Desde que tenho uso de consciência, nunca tive preferência por alguma cor específica. Tal como dizia a minha avó, as cores são vistas e são utilizadas na sua complexa variedade, intensidade e tonalidade - mesmo quando pensamos erroneamente que só preferimos uma ou outra cor. Não é preciso saber quais os diferentes tipos de classificação ou sistemas de codificação existentes. Não precisamos saber que o amarelo, o azul e o vermelho são as cores primarias…. Eu sei que isto parece estúpido mas (se pensarmos bem) podemos deixar este assunto para profissionais com algum propósito para esse conhecimento (p.e: vendedores de pinturas). A verdade é que não precisamos saber muito para contemplar as cores na sua máxima exposição. Tenho aprendido ao longo da minha vida que não precisamos saber muito para conseguir atribuir uma significação pessoal, mítica ou superior às cores. Não precisamos muito porque de forma tendencial nós próprios (por natureza) vamos percebendo que cada dia da nossa vida tem uma pigmentação diferente. Nós próprios vamos percebendo que cada dia se veste com uma cor diferente. Nós próprios vamos expressando-nos e equilibrando-nos através das cores.. Nós próprios vamos convertendo às cores na nossa principal fonte de energia. Disso já não tenho dúvida alguma.. Da mesma maneira que aconselho às pessoas apáticas e tímidas a vestirem-se de vermelho, também aconselho às pessoas turbulentas, extrovertidas e eufóricas para vestirem-se de amarelo. Na minha perspectiva pessoal, estas duas cores completamente antagónicas servem de colírio para os meus olhos. São cores que emitem uma energia extra-polar. É da sua combinação que emergem as minhas sensações inexplicáveis de bem-estar. São pontos vermelhos e pontos amarelos na minha mente, são pontos que convergem e divergem, são pontos que se conjugam harmoniosamente e dão lugar às postas de sol que tanto adoro. Hoje foi um dia claramente com matizes vermelhos e amarelos.

Vermelho – fogo, calor, nobre, impulsividade, paixões, sexualidade, acção, conquista, movimento e actividade. Cor do sangue, conota energia e vitalidade.
Amarelo e Dourado – luz do sol, iluminação, sabedoria, intelecto, diversão, percepção.
Cada um atribui o seu próprio significado...

Sem comentários:

Enviar um comentário

Que pensas sobre isto? Desejas partilhar algo parecido? Concordas ou não?
Obrigada pela visita!