domingo, 5 de outubro de 2008

Previsibilidade vs. Manipulação

 
Cada pessoa tem a sua própria forma de estar, de ser e de conviver. Cada pessoa adopta maneirismos diferentes ao tentar fazer qualquer coisa. Há alguns tempos atrás, ainda quando tinha tempo suficiente para “literalmente” não fazer nada, sentava-me nos bancos da rua e ficava a olhar para as pessoas. Ficava tentando passar desapercebida e fazer observações sobre a forma de “estar” das pessoas. Na Espanha vi inúmeras situações que me deixaram a pensar sobre as características de personalidade das pessoas. Passei por idosos, crianças, adolescentes e um variado número de pessoas com diferentes culturas, formas de vestir e de falar... tirei minhas conclusões e, apesar de alguns me chamarem maluca, sou capaz de dizer que aquilo que nos caracteriza numa conversa com qualquer pessoa nem sequer é a própria linguagem. O processo de comunicação é tão complexo que não damos conta da quantidade de informação que passa pelos nossos sentidos e ao mesmo tempo da quantidade de informação que emitimos por cada milésimo de segundo que estamos frente a uma pessoa. Mesmo quando não falamos estamos sempre comunicando alguma coisa. Mesmo quando não falamos se produzem trocas que captamos instantaneamente. Trocas, estas, que vão moldando a nossa comunicação. Todos levamos uma bagagem durante esse processo.. uma bagagem que desencadeia níveis diferentes de intrusividade, sensibilidade e estrutura. Uma bagagem que vai permitir uma harmoniosa dança. Tal como no “Tango”, nesta dança a regulação que fazemos aos diferentes níveis é crucial. Já conheci pessoas claramente frontais, submissas, algumas antipáticas e ainda outras que não consegui perceber. A forma como cada um interage muda de pessoa para pessoa. Depende de muitos factores (quer internos, quer externos). Hoje, na calma dos meus pensamentos comecei a lembrar-me daquelas tardes com temperaturas a mais de 38º graus na Espanha. Provavelmente tudo veio a propósito do meu desgosto pela falta de previsibilidade. Quer pela positiva, quer pela negativa, detesto sentir-me surpreendida!! Detesto surpresas!! Acredito plenamente na nossa capacidade para prever o comportamento e o tipo de emoções que podemos desencadear numa pessoa. Dito com outras palavras, considero que conhecendo a forma de “estar” e de “ser” de uma pessoa, somos capazes de agir para conseguir um tipo de resposta específica. Isso parece manipulação.. eu sei!! Quem me conhece sabe que tento fazer tudo com alguma previsibilidade mas de uma coisa tenho a certeza, seria incapaz de chegar ao extremo da manipulação. Gosto de planificar e orientar o que quero fazer, é verdade.. mas seria incapaz de utilizar a minha sensibilidade (em prever comportamentos e emoções) para manipular e obter qualquer coisa que seja. Detesto a falta de previsibilidade mas detesto ainda mais quem utiliza a previsibilidade para manipular e conseguir seja o que for. Em fim, há comportamentos que não consigo tolerar…

Sem comentários:

Enviar um comentário

Que pensas sobre isto? Desejas partilhar algo parecido? Concordas ou não?
Obrigada pela visita!