terça-feira, 7 de outubro de 2008

Resíduo de palavras..

É aquele silêncio rotundo que separa. É essa distância que se estabelece cada vez que tento aproximar-me. São muros de silêncio que se criam. Muros que as vezes não consigo perceber! Muros coercivos, compactos e nocivos que paralisam… muros que deixam rastos. Agora, antes e depois… passado, presente e futuro. Uma constelação de tempos remotos que trazem confusões entre questões resolvidas e outras ainda por resolver. O ar quente que respiro neste dia de chuva é apenas resíduo de palavras recicladas. Olhos que aguentam, olhos em água – ácido que queima na sua constante metamorfose, ácido que controla a expressão de cada minuto, de cada segundo. Emoção de "ontem" convertida em expressão de "hoje". Gelo que com a distância rompe o peso de um percurso.

2 comentários:

  1. Acho que basta uma palavra para descrever o que escreveste: inspirado. Espero que continues a ter momentos de inspiração, e talvez motivos mais positivos para tal. beijos***

    ResponderEliminar
  2. Obrigada Zlati.. Sinceramente nem sempre é preciso de muita inspiração.. tu melhor do que eu sabe disso. Há coisas que simplesmente se sentem.. algumas são faceis e outras mais dificeis de exprimir. beijo grande***

    ResponderEliminar

Que pensas sobre isto? Desejas partilhar algo parecido? Concordas ou não?
Obrigada pela visita!