sexta-feira, 30 de janeiro de 2009

(In)Esperado..


… está na hora, o relógio anuncia que faltam 25min para as 9h. Parece um dia normal, mas eu sei que não é. A perspectiva que quero ter é ausente. Tonta sensação de vazio… Será que estou tornando-me uma pessoa insensível? Vejo aquilo que quero ver e não consigo explicar a estranheza? Tudo aparentemente pertence a este lugar. O meu lugar.. Na parede fixamente um reflexo em espelho. Reflexo que se situa do outro extremo com a ajuda de uma lâmpada que ficou acesa durane a noite. Lugar familiar e estático no tempo. Ambivalência de incerteza vs certeza. Humilde dissecação que acompanha este despertar inóspito… estou cansada, parece que andei kilometros sem parar. Sinto que caminhei, caminhei, caminhei e caminhei em busca de algo grande… de facto encontrei. Encontrei sequelas que voltaram atrás no tempo. Estou calada, a criança deitada viu as águas invadirem os ângulos do seu quarto vazio e agora a porta fechada desconhece o que se passa… São 9h e estou a kilometros de distância daquela fria certeza. Preciso de me pôr a pé..

sábado, 24 de janeiro de 2009

Um dia meu..


Hoje foi o meu dia...

para acordar a hora menos esperada
para me consentir
para demorar 1h a tomar banho
para exfoliar meus pés
para pintar as unhas
para ouvir boa música
para relaxar
para andar de meias por toda a casa
para ser livre
para rir
para organizar só aquilo que me apetece
para ver um bom filme
para ver fotografias antigas
para tirar o pó aos meus melhores livros
para guardar debaixo do tapete os desgostos
para fechar os meus olhos e seguir aquela música que tantas vezes cantei
para me lembrar dos velhos amigos
para não sair de casa
para não desanimar
para comer pão com manteiga
para pensar na vida
Em fim...
Um dia que precisava de ter desde há muito tempo..
Um dia apenas meu! ;)

terça-feira, 20 de janeiro de 2009

Coisas que adoro de ti..


Há uns dias atrás alguém (não vou dizer quem!) disse: teus olhos brilham com apenas pronunciar o seu nome!
Sinceramente só lhe posso agradecer a essa pessoa pelo comentário feito. Sem dúvida, deu-me a gentil felicidade de poder responder: Sim, estou apaixonada!
Hoje, neste dia de chuva resolvi detalhar um par de coisas que me enlouquecem e me fazem estar perdidamente apaixonada de ti…
Adoro a simplicidade de estar juntos
Adoro a tendência cada vez crescente por perceber tudo de mim
Adoro a subtileza com que abordas minhas mãos
Adoro a paixão que desencadeias em mim
Adoro as rotinas que crias
Adoro as flores que ofereces
Adoro os teus olhares profundos
Adoro os teus sinais - especialmente aquele pequenino perto da boca
Adoro o ritmo em que me amas
Adoro o teu tacto
Adoro o teu perfume
Adoro o sabor dos teus beijos
Adoro o espaço que crias para viver
Adoro o cheiro a chiclet do teu carro (um dia destes vou comer!)
Adoro deitar-me nos teus braços
Adoro perder-me nos teus olhos
Adoro ouvir-te cantar quando tens gripe
Adoro amar-te e sentir-te perto de mim
Adoro ver-te sorrir
Adoro acordar e ver aquela fotografia
Adoro tomar café contigo
Adoro ver a cara que pões quando bebes chá
Adoro lembrar a nossa história
Adoro "sonhar acordada" contigo
Adoro essa tua paixão pela organização (tudo direitinho!)
Adoro deslizar meus dedos pelo teu rosto
Adoro cada palavra que pronuncias
Adoro cada tentativa para me fazer sorrir
Adoro ouvir a tua voz
Adoro que sejas tu e mais ninguém...
Adoro saber que sou habitante privilegiada do teu ser
Adoro quando sussurras meu ouvido
Adoro quando acompanhas meus silêncios
Adoro quando dizes: “te amo”
Adoro quando “tudo vai correr bem”
Adoro quando não tens frio
Adoro quando mastigas Trident
Adoro quando somos cúmplices
Adoro quando nos reencontramos
Adoro quando sincronizas teu respirar com o meu
Adoro quando minhas mãos se juntam a ti
Adoro quando falas de informática
Adoro quando não pões gel no cabelo
Adoro quando estas “sempre” tão bem informado
Adoro tudo aquilo que fazes e deixas de fazer
Adoro tudo aquilo que dizes e omites
Adoro tudo aquilo que vejo e é sincero
Adoro tudo aquilo que insinuas
Simplesmente adoro-te e estou completamente apaixonada de ti…

quarta-feira, 14 de janeiro de 2009

Pedaços de ti...



Fragmentos, traços, gestos, inquietudes, preocupações… cada parte de ti me prende subtilmente. Sei ler a desesperança, a ilusão, as ânsias e as profecias dos teus pequenos olhos. Sei quando eles dizem estar aparentemente bem e quando não. Como negar algo que é tão óbvio?!? Por trás do silêncio cativante dos teus olhos se esconde a minha eterna perdição.
Os dias tediosos de estudo ajudaram a aumentar as minhas saudades acumuladas de ti, dos teus olhares; aqueles que intensamente se perdem dentro de mim e me aguardam como uma menina pequena. Não posso continuar a nega-lo! É aquela tendência fervorosa dos teus olhares que amputa incansavelmente o espaço circundante em que estou contigo. Adoro perder-me nesse pedaço minúsculo dos teus olhos…

domingo, 11 de janeiro de 2009

Amar vs Experiência



Ninguém é esperto em matéria de amor. Quando se trata de falar de amor são poucas as pessoas que lhe dão a seriedade que o assunto merece. Alguns chamam ridículo falar de amor, alguns preferem ignorar e ainda encontramos aqueles que dizem muitas coisas mas não dizem absolutamente nada. Frieza? Tal vez, mas é compreensível…“não é a melhor altura para falar de amor! Amar? Onde é que há tempo para isso? Só podes chegar a gostar muito de alguém, o amor como tal não existe!” – é o que dizem. Questiono-me, será que existe altura certa para amar? O amor deve ser racional para ser verdadeiro? Será que o amor não existe? Quem tem tido experiência falida no amor provavelmente tenha uma melhor percepção daquilo que estou a falar. Pois são as pessoas com experiências falidas que geralmente pensam assim, concretizando outros aspectos e deixando muitas vezes de lado a possibilidade factual de voltar amar algum dia. Devo sublinhar que este não é o meu caso, acredito na existência do amor. Seria completamente abstracto ignorar ou negar a sua possibilidade.. amar por segunda, terceira ou quarta vez, penso que tras uma experiência inevitável. Cada história e forma particular de estar constitui experiências diferentes!

Dias atrás precisamente falava de amor com alguém muito especial para mim.. Uma pessoa cuja experiência se faz notar nos seus cabelos brancos/doirados. Alguém que tem sido desde pequena a minha grande adoração. Foi daquelas conversas que sempre gostei de ter com a minha avó... aquelas em que fico deitada no seu peito e ela fala. Consegui ouvir o seu coração a bater, cada pausa, cada maneira de pronunciar e articular as emoções. Consegui captar muito mais que histórias em si. Foi extraordinária a vivência pessoal que acordou nela ao contar tais histórias. Provavelmente pessoas com manchas nas suas vivências amorosas seriam incapazes de expressar de tal modo o significado de amar sem medida. Esta mulher é certamente daquelas poucas mulheres que arriscou e acreditou tanto no amor verdadeiro apesar das dificuldades associadas. Grandes histórias de amor contadas avó! Nunca vou esquecer.. Os tempos certamente mudaram mas a essência acredito que continue sendo a mesma. Cabe a nós dar-lhe o valor que merece..

sábado, 10 de janeiro de 2009

Honestidade...


Em que pensamos quando ouvimos a palavra: “honestidade” Ser honestos.. uma prática que me parece ser difícil de se encontrar nos tempos que correm. Arte de ser real, autêntico e genuíno. Deixar de ser uma pessoa falsa, fictícia, que não existe.. Não duvido, expressar honestidade é uma forma de expressar respeito por nós e pelos outros.
Desafortunadamente vivemos num mundo em que nem todas as pessoas são honestas. Eu sei, possuímos uma grande variedade de tendências e impulsos que harmonizam espontaneamente a nossa razão de viver. Necessitamos de prática para conseguir ser pessoas benévolas. Nesse intento provavelmente muitas pessoas fazem coisas horríveis que a prudência lhes aconselha ocultar. Mentir é “fácil” caros amigos, mas quando se utiliza com frequência gera um vício que leva ao caos existencial. Não conheço nenhuma pessoa que tenha mentido e que um dia mais tarde ou mais cedo não tenha sido descoberta. Ser honestos é importante. Nossa vida social é importante. A empresa humana precisa de acções concertadas. Quando será o dia em que vamos considerar a honestidade uma virtude humana indispensável? Não se trata de adoptar uma posição política. A política é lixo.. Há pessoas que dizem ser honestas simplesmente porque essa é a politica mais conveniente, mas não chegam a lado nenhum. Hoje em dia vejo como os pais dizem aos seus filhos: “não quero voltar apanhar-te nisso, esta bem?!?” – questiono-me, será que o problema fica resolvido? O desenvolvimento moral não é um jogo de “apanhar/apanhado”. Quando será o dia em que vamos perceber isso?!? Uma vida honesta pode ser muito mais do que isso. Não há meio termos; não há águas mornas neste assunto.. somos água fria ou água quente. Somos honestos ou não?!?

A pergunta é… se o mundo inteiro fosse como tu, se fosse igualmente puro, sincero, livre de más intenções, livre de extorsões, enganos e de planos meditados para burlar e enganar aos outros… diz-me, seria este um melhor mundo? Quais seriam as águas que banhariam o coração humano?Seria o oposto a ti a quem eu imitaria?

terça-feira, 6 de janeiro de 2009

As férias acabaram..


As férias literalmente acabaram. É altura perfeita de experienciar aquela sensação de não ter feito praticamente nada durante tanto tempo. Férias caracterizadas por tudo aquilo que significa estar realmente de FERIAS. Relaxar, comer e fazer pouco (praticamente nada…) daquilo que habitualmente estamos acostumados a fazer. Não me queixo! – digo em voz baixa! De facto, as minhas férias foram o máximo. Questiono-me se não terei errado? Grande ginástica mental minha que me acompanha nesta estúpida sensação de ter perdido o tempo… são os minutos gastos em actividades que nada têm a ver com o acto de ESTUDAR.

Não é tarde... agora o meu computador à beira de um episódio maníaco tenta corajosamente salvar-me do cansaço de pensar que “tenho que estudar”. Que irresponsabilidade minha, agora são os neurónios das canetas que entraram em colapso de inutilidade.
É altura de seguir em frente e que corra tudo da melhor maneira possível!