sábado, 28 de março de 2009

Angel - The corrs

She lived like she knew nothing lasts 
Didn't care to look like anyone else 
And she was beautiful, so beautiful 
I still hear her laugh like she's here 

Shower it down on all the young 
It isn't so wrong to have such fun 

Forever angel 
I hope they love you like we do 
Forever angel 
I'll be proud to be like you 
Be like you 
(I'll be proud to be like you) 

Does the sun shine up at you when you're looking down 
Do you get along with the others around 

It's got to be better than before 
Yoy don't need to worry now you're gone 

Forever angel 
I hope they love you like we do 
Forever angel 
I'll be proud to be like you 
Be like you 
Just like you 

And when I go to sleep at night 
I'll thank you for each blessed thing surrounding me 
For every fall I'll ever break 
Each moment´s breath I wanna taste 
Confidence and conscience 
Decadent extravagance 
Never ending providence 
For loving when I had the chance 

Angel 
I hope they love you like we do 
Forever angel 
I'll be proud to be like you 
Forever angel 
I'll be proud to be like you 
Be like you 
I'll be proud to be like you

Compromisso..


Compromisso. Aquilo que geralmente fazemos quando somos capaces de confiar em nós próprios. Adquirimos um compromisso sempre que a nossa consciência sabe o que é esperado de nós como pessoas. Uma pessoa comprometida é aquela que cumpre com as suas obrigações fazendo um pouco mais daquilo que é esperado; vive, pensa e projecta as suas energias em tudo aquilo que a mente lhe permite reflectir (família, trabalho, estudo). Todos nós temos compromissos de diferentes índoles. É pena que por vezes as pessoas esperem que exista um contracto, uma promessa ou uma iniludível consequência para saber que estão comprometidas. Na minha perspectiva, o verdadeiro compromisso nasce desde o momento que fundamentamos o nosso conhecimento para aquilo que queremos..

sexta-feira, 20 de março de 2009

Reggae Venezuelano!!


Hoje foi um dia para relembrar o reggae venezuelano. Aquele que durante algum tempo foi o que os meus ouvidos mais ouviam. Fiz uma pesquisa no youtube e uma coisa me levou a outra. A verdade é que com isto, lembrei momentos vividos na escola com os amigos. Mulato, Jahbafana, Negus Nagast, Papashanty Saundsystem, apenas alguns dos que faziam parte do repertório. Realmente sempre faz bem relembrar..
Ohh no no yeeh
Paz, amor, respeto, comprensión
Para el alma, para la vida Conciencia!
Música de Paz Música de amor Música enfocada en proyectar buena intención
Música y esencia para estimular el valor de la conciencia
Criticando a la maldad y el ego
Rechazando siempre al falso apego (bis)
Comunicarse es lo fundamental
Esa es la base
Para enfocar siempre el buen desenlace
Y el poder que tienen las personas cuando nacen
Para corregir los errores que otros hacen
Yo recuerdo que hace un tiempo no tenia sentido
Tratar de reparar malos actos cometidos
Ya sea por la ignorancia o por jamás haber tenido
Una buena educación espiritual que haya instruido
A la esencia del camino que el humano ha perdido
Por querer usar un falso rumbo dirigido a la Materialización cortando relación
Entre la importancia espiritual y la ilusión
Poco a poco todos vamos cayendo en perdición por La consecuencia de una falsa evolución
Si no despertamos nunca vamos a aprender que la Razón se encuentra en el corazón
Personalmente no veo sentido tener que estar viviendo reprimido en un sistema sucio y corrompido
Las ciudades ya no son un lugar fino sino que son La cuna de matones y bandidos
Que nos hacen vivir con angustia y paranoia
Haciendo que el espanto nos perturben en la
Memoria con miedo, euforia y escoria Pero saben que?
Avanzaran todos los que tienen fuerza espiritual
Se salvaran todos los que nunca dejen de luchar
Renacerán los valores de una verdadera esencia
Que tocara nuestra conciencia
Y así vendrán Nuevos tiempos llenos de amor y de paz
Que poblaran Este mundo para así armonizar
Y fundaran una escuela de energías predilectas
Que a los corazones conecta
Música de Paz
Música de amor
Música enfocada en proyectar buena intención
Música y esencia para estimular el valor de la conciencia
Criticando a la maldad y el ego
Rechazando siempre al falso apego
a lucha es muy bandera
Pues la maldad esta regada por toda la esfera
Y es una loquera que se adueña de las buenas vibraciones
Que el mundo natural propone
Porque este mundo artificial lo descompone
barbaridades llenas de maldad y de atropellos van y vienen
Afectando a los que muy poco dinero tienen
Es un juego que a ninguno nos conviene
Porque va a afectar a los que en un futuro vienen
Hago referencia a nuestra descendencia
Que es la que algún día va a sufrir las consecuencias
De una falsa herencia llena de inconciencia
Por la negligencia que dejo nuestra existencia
La vida no tiene precio
Pero el ser humano la consume con desprecio y egocentrismo
Buscando el facilismo
Pensando en si mismo
Pero sin saber que esta viviendo al borde del abismo un día no muy lejano tendrán que darse de cuenta
Que vivir en paz y en armonía tiene que ser la meta
Para hacer de este un mundo libre de caretas Y de actitudes incorrectas.
Y avanzaran todos los que tienen fuerza espiritual
Se salvaran todos los que nunca dejen de luchar
Renacerán los valores de una verdadera esencia
Que tocara nuestra conciencia
Y así vendrán nuevos tiempos llenos de amor y de paz que poblaran este mundo para así armonizar
Y fundaran una escuela de energías predilectas
Que a los corazones conecta

quarta-feira, 18 de março de 2009

Prudência..


A virtude da minha razão é a “prática do meu dia-a-dia”. Ordem e acção concreta que constantemente me definem como pessoa. Reflicto sobre isto e considero os meus afectos, palavras e acções como um trajecto contínuo em que o resultado final é a procura de “actuar correctamente” em qualquer circunstância. Sabem daquilo que estou a falar? Nem mais nem menos que da minha PRUDÊNCIA. Aquela que por vezes é pontual e me ajuda a actuar com maior consciência frente as situações ordinárias da vida. Devo admitir que muitas vezes a minha prudência passa desapercebida para mim própria. Sou admiradora das pessoas que tomam decisões acertadas, dando a impressão de nunca enganar-se em nada! Paradoxalmente todos nós sabemos que errar é humano… e que a perfeição como facto é pouco provável. Todos nós erramos alguma vez na nossa vida. A essência da prudência é conservar a calma mesmo nas situações mais difíceis. Não se trata daquilo que aparentemente conseguimos ser.. trata-se da maneira como conduzimos a nossa vida. Ser prudente não é ter a certeza de não enganar-se mas, pelo contrário, de enganar-se e ter a capacidade de reconhecer as falhas e limitações. Rectificar, pedir desculpa e solicitar ajuda.. Sinto que ser prudente permite edificar uma personalidade capaz de se comprometer, gerar confiança e estabilidade junto das pessoas que nos rodeiam.
Hoje em dia é fundamental testar a nossa prudência.
Que melhor forma de o fazer que não utilizando a nossa experiência?
Actuar e tomar decisões prudentes…
aprender ou não é uma opção! Qual é a tua?

terça-feira, 17 de março de 2009

Naturalidade e beleza…


O verão já está a chegar. A disposição é outra, desfrutamos de uns dias de sol e calor. As pessoas têm ar de felicidade nos seus rostos. Óculos de sol, camisolas de manga curta e cores próprias de um ambiente agradável de verão. Até da praia já se fala... Respira-se nos últimos dias do mês de Março um ar diferente. Não me posso queixar, adoro! Até estou para ver como é que serão os dias mais quentes deste ano. Já estamos “veraneando” e o pior desta véspera são as dietas apressadas, as compras de roupas mais frescas, as depilações, cremes.. e não sei quantas coisas em que normalmente as pessoas começam a pensar nesta altura! Devo dizer com algum cuidado que tenho vindo assistir cada vez mais a uma excessiva preocupação (já não só) do povo feminino sobre assuntos relacionados com a beleza. Quem me conhece e sublinho, quem me conhece mesmo bem, sabe que gosto e acredito ser indispensável ter alguns cuidados com o nosso aspecto. Não tanto por uma questão de beleza mas sim por uma questão de auto-estima. Verdade seja dita, sempre é importante ter alguns cuidados mínimos. Mesmo assim considero que tudo tem o seu limite e incluso quando pensamos que não há limites é preciso acreditar que eles de facto existem! Aquilo que se vende nas baias publicitárias nem sempre corresponde àquilo que é a própria realidade. É preciso ter consciência disso... Fico arrepiada quando vejo pessoas capazes de idealizar o seu próprio corpo com modelos que não existem! Hoje em dia o mundo da informática faz muito, sendo que aquilo que por vezes parece ser perfeito nem sempre é… Com isto apenas quero dizer que não há nada mais favorável para nossa própria beleza e saúde mental que aceitarmos aquilo que somos. Cuidar do nosso corpo regularmente sem chegar a extremos é o mais desejável!

A véspera de verão antecipou-se.. aproveitem e cuidem bem de si próprios!

domingo, 15 de março de 2009

Aceitas um gelado?



Depois de um dia inteiro em casa a estudar… livros, folhas e um par de canetas é o que me prende a esta cadeira. Tenho saudades de estar contigo, são saudades de desfrutar o grandioso sol que está lá fora contigo (o qual parece instalar-se durante algum tempo). Hoje não quero ficar em casa, hoje não quero dizer que tenho que estudar.. Hoje não quero dizer: Não posso! Não quero pensar no tempo que vou perder.. Hoje apenas quero sair e dar uma volta ao teu lado, contemplar o sol, falar contigo enquanto se derrete o gelado. Hoje tenho saudades de te ver!! Aceitas um gelado?

sexta-feira, 13 de março de 2009


Por vezes resulta-me difícil perceber como é que alguém é capaz de gritar a outra pessoa sem justificação aparente. Gritar e insinuar que é incapaz de qualquer coisa. Detesto quando alguém me grita e quem me conhece sabe perfeitamente que prefiro calar-me do que responder da mesma forma. Detesto as pessoas que não conseguem canalizar suas energias mal dirigidas no seu corpo. Tenho que admitir que há dias para tudo e que às vezes não acordamos com o pé direito. Há dias em que tudo parece sair ao contrário. É certo, mas mesmo assim isso não justifica qualquer comportamento humilhante. Sou sincera hoje foi um dia daqueles em que acordei querendo dar o meu melhor e fazer da melhor forma possível o meu dia. Há pessoas que fazem com que essa vontade desapareça. Há pessoas que deixam muito que desejar quando abrem a boca para comunicar-se. Onde estão as boas maneiras? Onde está a pedagogia para ensinar? Onde está a paciência que deve ter qualquer instrutor de aulas de conduzir?
A frase do dia:
Até quando te vou dizer que tens que ser mais rápida com o volante!
As melhores palavras são aquelas que às vezes não são ouvidas nem ditas…

quinta-feira, 12 de março de 2009

Estou contente..



É necessário superar as inúmeras provas que por vezes temos que passar. Não vou negar que ultimamente tenho estado a lembrar os meus primeiros dias na Universidade do Minho. Um novo país, uma nova cultura, novas formas de trabalhar em grupo. Praxe?!? O que é isso?!? Lembro-me da existência de coisas que não faziam nem fazem ainda sentido na minha cabeça. Passei por muitas situações difíceis de adaptação. Lembro-me perfeitamente ter chorado sem parar no meu primeiro ano em Portugal. Foi na Universidade que tive o meu primeiro 12 como nota final de uma cadeira. Tive saudades do meu país e vontades de voltar atrás. Tive dificuldades financeiras e lutei até o fim para passar todas as cadeiras do meu primeiro ano (para não perder a bolsa de estudo). É verdade, tive dificuldades que foram aos poucos desaparecendo e ganhando outros contornos positivos. Ao longo do percurso académico foram evidentes os altos e baixos. Climas de tensão e devo dizer a verdade, poucas vezes o companheirismo e amizade das pessoas. Uma grande amiga até hoje tem sido a minha fiel companheira na Universidade, a Zlati.. e é com ela com quem tenho aprendido imensas coisas. Não só da universidade mas também da vida. Actualmente penso em como vai acabar a fase de “ser estudante universitária” e passar à vida dos mortais. Daqueles que tão pronto quanto acabam a universidade desejam começar a trabalhar naquilo que sempre quiseram. São incertezas as que acompanham os meus pensamentos relativamente ao emprego, mas não é disso que pretendo falar. Oficialmente o meu último semestre de aulas já começou, a carga horária de trabalho é terrivelmente assustadora (com 15 testes, trabalhos, apresentações, etc.). O curso de Psicologia é exigente. E para quem pensa que qualquer pessoa pode ser psicólogo, só me resta dizer que não é bem assim! Para mim o mundo de aqui a 6 meses será diferente… Novos projectos de vida, novos arranques, novas motivações, novas expectativas e os mesmos desejos desde um inicio para ser uma excelente profissional são apenas alguns dos ingredientes que acompanham este semestre cheio de trabalho… Felizmente, hoje foi mais um dia para memoriar e festejar! A orientação da minha tese para o próximo ano na área do comportamento alimentar em crianças está literalmente garantida. Um tema do meu particular interesse desde os primórdios do meu percurso.. Crianças e Alimentação! Mistura perfeita… existem ainda alguns aspectos por afinar mas é com prazer que consigo dizer que estou contente, já tenho orientadora para minha tese!

terça-feira, 10 de março de 2009

Pensamentos em forma de carícias..


Quando as palavras faltam e o silêncio se faz sentir. Silêncio que surge como uma forma espontânea de interpretar o nosso genuíno instinto de olhar. Olhar cativante, que se perpetua, que respeita o espaço, que diz mais do que 1000 palavras. É um olhar que se foca nos olhos e vive o momento de conquistar. Minutos que passam e morrem com os nossos pensamentos. Vivemos a sensação de não ter nada que dizer… Simplesmente sentimos e a razão se dissocia. É uma espécie de jogo perfeito. O jogo de carícias mais limpo que alguma vez já joguei. Palpito, tacto e sensibilidade… deslize de linhas rectas e curvas como principal potenciador que cruzam o limite predefinido.
São as memorias para quando as saudades queiram apertar…

sexta-feira, 6 de março de 2009

Superficialidades...

Não consigo perceber a superficialidade de algumas pessoas. Porque temem tanto àquilo que realmente são, ao que realmente sentem, ao que realmente encontram quando olham para dentro delas próprias. Por vezes são inúmeras as situações em que vejo a superficialidade. Dizem que o mais importante é os sentimentos, as emoções, a personalidade e a autenticidade com que cada um se apresenta. Dizem que o que menos importante é o perfume, a roupa ou calçado com que andas. Dizem que o fundamental é as boas maneiras e o respeito. Dizem que os amigos sempre estão disponíveis em cada momento. A verdade diz-se muitas coisas lá fora… mas na prática todas elas ficam pela metade do caminho. Porque as pessoas se fecham trás uma mascara? Saem à rua pensando qual será a mascara do dia? Será a mascara da hipocrisia? Será a mascara da honestidade? Será a mascara de quem sabe e faz de contas que não sabe nada? – Fico brutalmente escandalizada quando vejo que andamos aqui pensando ser criaturas perfeitas fisicamente e é ainda mais absurdo como alguns ficam a pensar com a plena crença de que o dinheiro compra absolutamente tudo. Até quando vamos pensar que o melhor homem é aquele com excelentes dimensões, que as mulheres são as melhores cozinheiras, que as melhores fotos são as tiradas com uma máquina fotográfica, que a complexidade é um desafio para os homens e que a singularidade é a sua virtude. Quando vamos deixar de atribuir factos àquilo que apenas constitui um jogo da nossa própria consciência. Fico a pensar nesta estupefacta conversa com o meu inconsciente e chego ao limite mais abarrotado de intolerância. Porque não ser quem realmente és? Porque esconder o lado mais negativo que tens? Eu sou quem sou, com os meus defeitos e virtudes.. aconselho vivamente a serem quem realmente são. Deixem a um lado os preconceitos (muitas vezes construídos por nós mesmos), deixem a um lado a luta por conseguir ser quem realmente nunca vão chegar a ser. Sejam apenas vocês mesmos! Só assim garanto-vos uma vida com provavelmente mais problemas daqueles que já têm, mas também garanto-vos uma vida plenamente mais tranquila no vosso interior.

quinta-feira, 5 de março de 2009

Ser os olhos de alguém…

Eram 1h10 da tarde, aguardava pelo meu autocarro de costume… mas antes disso será que de facto podia ter decidido ir embora mais cedo? Será que podia não ter comprado as fotocópias? Será que podia ter ido a pé e não aguardar pelo autocarro? A verdade é que podia.. mas não queria! E foi exactamente isso o que aconteceu. Eram 12h55, me despedi da Zlati com um até amanhã! E um beijinho.. Continuei a caminhar e tropecei com um charco de água, parei momentaneamente, segui em frente como quem diz, não foi nada! Segui caminhado e olhando para a Multi-Serviços (local onde costumo tirar cópias) cruzei a rua.. pensei, está aberto! Óptimo, vou aproveitar. 10min exactos e depois de comprar as copias pensei “agora tenho que esperar pelo autocarro”. Impacientemente aguardava e pensava: nunca mais chega; podia ter comprado as fotocopias amanhã, agora já podia estar em casa; que seca, agora vai começar a chover!! Estes eram apenas alguns dos meus pensamentos. Caminhava de um lado para o outro e de momento apareceu um autocarro do qual saiu imensa gente. A última pessoa a sair foi uma senhora de casaco branco, cabelo comprido e olhos azuis desorientados que procuravam ver através de uma bengala. Acho que demorei em reagir. Os olhos daquela mulher chamaram por mim. Foi uma sensação difícil de explicar, foi um impulso ao qual não consegui resistir. Aproximei-me dela e perguntei: para onde pretende ir? Ela já em direcção à entrada de uma garagem disse com um sorriso nos lábios: eu quero subir as escadas, pretendo ir ao Hospital Psiquiátrico. Estava claramente perante alguém que não conseguia ver. Peguei na sua mão e disse que eu a levaria até as escadas. Subi com ela da mão dada enquanto ela sorria e dizia: “Eu já tinha cá vindo uma vez! É mesmo por aqui…”. Ao chegar ao fim das escadas eu própria senti-me perdida. Pus-me no lugar daquela senhora e não resisti em perguntar: quer que a leve até o Hospital Psiquiátrico? Ela continuava a sorrir: "Eu acho que agora tenho que virar à direita e seguir em frente. Não se preocupe, eu vou perguntando.. a menina vai-se atrasar por minha causa! Não é preciso". Perante aquele comentário, não hesitei: "Não está sozinha, eu vou consigo". Peguei desta vez no seu braço e fui indicando os degraus existentes no caminho. Em cada mudança de direcção ela sorria e continuava a dizer: "é por aqui mesmo! Eu já tinha vindo cá uma vez!". Comentários aos quais eu respondia: "não se preocupe, eu deixo-a dentro do Hospital". Ela só sorria e atendia às minhas indicações sobre os degraus e imperfeições da rua. Ao chegar ao Hospital, ela reconhecia o sitio… parecia como se estivesse perto de casa: "É mesmo aqui! Agora já cheguei!". À porta da secretaria ela virou-se para mim tentando focar o seu olhar nos meus olhos: Muito Obrigada pela sua atenção! :) Reconhece o sitio, é aqui que queria chegar? - perguntei. Obviamente, estava no lugar pretendido.. sai daí com o coração na mão e a sensação de ter ajudado aquela senhora da melhor forma possível. O vigilante ficou a olhar para mim e perguntou: a senhora veio sozinha? Eu só acrescentei: ela veio sozinha, eu apenas guiei os seus olhos! E com um sorriso nos lábios o vigilante respondeu: Obrigado!
As vezes queixamo-nos da vida, queixamo-nos daquilo que temos, queixamo-nos do que nos faz falta, queixamo-nos do dia chuvoso, queixamo-nos e passamos a vida inteira a queixar-nos. A queixar-nos do quão difícil tem sido lidar com determinadas situações na nossa vida. Fiquei sensível à esta realidade de muitas pessoas. Sou admiradora de pessoas como estas.. A verdade é que enquanto alguns nos queixamos há outros que seguem em frente com a sua vida. Seguem sorrindo até o fim daquilo que pretendem. Devo ainda admitir que a maior satisfação desta experiência é a confirmação de que há coisas que não acontecem por acaso. E se há coisas que acontecem, é porque simplesmente tinham que acontecer nesse momento, nessa altura que menos esperavamos. Dou graças por ter tido esta experiência, foi daquelas que não acontecem por acaso.