quinta-feira, 30 de abril de 2009

Ao espelho...

Hoje fiz uma das tantas rotinas que há algum tempo atrás costumava fazer todos os dias… Olhar-me ao espelho e verbalizar tudo, absolutamente TUDO aquilo que vinha à cabeça em voz alta! Não é aquele olhar em que ficamos a ver se a roupa ficou bem no nosso corpo. Não. Trata-se do olhar em que sentimos intensamente o modo como a imagem de nós é devolvida através do espelho… Sou sincera, hoje lembrei-me da primeira vez em que fiz isto de uma forma intencional.. Lembrei-me das primeiras palavras que surgiram. Lembrei-me hoje... um momento em que claramente pensei o quanto mudei com o passar do tempo, no modo como o passado agora tem outro peso na minha vida. Ainda hoje consegui ver através dos meus olhos aquela criança resistente, silenciosa e algo tímida. Aquela que agora é sombra do que sou.. Aquela que no silêncio aprendeu a respeitar-se e aceitar-se tal como é.. Aquela que deixou de imitar os “trailers” do mesmo filme de sempre. Aquela que aprendeu a olhar para dentro de si de um modo diferente. Aquela que aprendeu que as "relações" são particulares, são fabulosas. Aquela que por isso viveu a importância de relacionar-se e aprendeu substancialmente dessas mesmas relações, mas que no entanto, também aprendeu que as relações não são para a vida e que são apenas temporais. As relações passam com o tempo, deixam de ser gratificantes ou simplesmente mudam. Sim amigos, eu aprendi ao longo da minha vida que a relação mais duradoura é aquela que mantemos com nós próprios... aprendi que essa relação é e será sempre a única relação eterna. "Aquela que mantemos com nós próprios". Estou cada vez mais convencida que quanto mais fortalecemos a relação com nós próprios tanto melhor é a relação que conseguimos ter com o resto do mundo. Por isso, apostem cada vez mais na vossa relação e isso reflectir-se-ia como espelho nos outros...
Bom fim de semana!!

domingo, 26 de abril de 2009

Just a dream?!?

Eram 8h da manhã, um súbito despertar com uma dor de cabeça e uma sensação de ter andado sem parar durante horas. Assim é como por vezes costumamos acordar de manhã, com a fria sensação do nosso corpo ter andado a vaguear por algum sítio inóspito ou por algum sítio deslumbrante. Hoje foi para mim um día desses… um sonho ainda fresco na memória que vivi e que não consigo esquecer. Um caminho deserto à procura de algo que não consigo perceber se afinal encontrei. Um lugar esplêndido, com folhas silvestres rodeando o cheiro das flores excepcionalmente belas… Confiança e uma sensação de felicidade. No percorrer desse caminho, raios de sol aqueciam a brisa refrescante das árvores que se baloiçavam de um lado para o outro. Senti vontades de ficar debaixo de uma dessas árvores mas os meus impulsos levaram-me a continuar o caminho. Confesso sentir-me cansada mas quanto mais caminhava mais curiosidade sentia em continuar caminhando até a cima de uma montanha desenhada com curvas perfeitas. Naquela viagem sem fim acordei repentinamente pensando nos trajectos que a minha vida tem dado até os dias de hoje e o mais importante de tudo é que acordei pensando nos trajectos que ainda me faltam por percorrer. Até hoje tem sido um excelente sonho de viver!!

segunda-feira, 20 de abril de 2009

Ciência Ficção ou realidade...

Após um fim-de-semana sem fazer literalmente “nada”, a semana começa toda cheia de gás. Coisas para estudar, calor húmido que já se faz sentir novamente, vontade de sair de casa e caminhar pelas ruas... Por vezes penso que a vida de estudante é injusta. Efémera? Uma autêntica contradição entre desejo de descansar vs desejo de acabar o curso? Daí o que temos.. Por um lado, alegria quando conseguimos fazer bem um exame ou trabalho; desapontamento ou tristeza por outro, quando tudo correu ao contrario e por vezes ainda nos restam doses de frustração quando sabemos que realmente nos esforçamos muito e obtemos um resultado (nota) miserável. Sou das pessoas que pensa que acabar o curso é uma das alegrias mais desejadas por qualquer um.. Há uns dias atrás falava com alguém ao telefone sobre isto mesmo. Curiosamente me apercebi que pensar em acabar o curso e associar isto à possível dificuldade de conseguir emprego é das coisas menos favoráveis que pode existir. Não quero dizer com isto que tenhamos que ser irrealista e ignorar essa possibilidade. Ao contrario, devemos admitir a probabilidade de tal facto acontecer mas.. questiono-me porque em vez disso, não nos concentramos no aqui e no agora? Tenho a certeza que ao acabar o curso vou desejar ter exames, ter aulas e ter professores "chatos e lixados” a quem atribuir as minhas falhas académicas. Tenho a certeza que estando inserida no campo de trabalho irei sentir saudades da vida de estudante. Tenho esse pressentimento e por isso parto do princípio que devemos assumir a-priori o facto que ter emprego no futuro. Tenho a certeza que só pensando assim é que poderei fazer aquilo que inúmeras pessoas me dizem para fazer... Aproveitar bem o meu último semestre de aulas e fazer tudo e mais alguma coisa para ter boas recordações desta última fase estudantil…

Temos que desfrutar a vida de estudantes enquanto ainda podemos,
sem pensar nas consequências catastróficas do desemprego.
Quando lá cheguemos então depois vê-se..

domingo, 19 de abril de 2009

21º Aniversario - Parabéns para mim!



Hoje acordei de uma forma diferente. Já é habitual cada 19 de Abril acordar com uma disposição excepcional. Hoje na minha travessia pela cama, dando voltas de um lado para o outro, os meus sentidos tinham a percepção de um cheiro especial. Foi num despertar momentâneo em que dei conta de uma rosa vermelha. Uma rosa que fazia arte da sua graça inclinando-se sobre uma parte da minha cabeceira. Acordei com o seu cheiro e uma suave textura sobre os meus dedos. Só podias ser tu – pensei. Enquanto fiquei a olhar, reparei que aquela rosa não vinha sozinha, estavam junto dela 20 rosas vermelhas e brancas. Fiquei a contemplar cada uma delas enquanto por baixo do ramo me apercebi que havia uma flor distinta às restantes. Uma flor que sorriu para mim ao lembrar-me que a primeira flor que me destes foi uma exactamente igual a essa, desta vez acompanhada por uma postal.

Acordei deitada sobre minha almofada apenas sorrindo
Só tu mesmo!

sábado, 18 de abril de 2009

Eu em 33 respostas...

Um desafio da mona lisa (Black and White)

1. Nome?
Andreina
2. Porque lhe deram esse nome?
Segundo dizem foi porque à minha irmã mais velha gostava.
3. Você faz pedidos às estrelas?
Faço mas só em verão…
4. Quando foi a última vez que chorou?
O domingo da semana passada, chorei de felicidade..
5. Gosta da sua letra?
Gosto da minha letra.. tenho duas formas de letra.. Adoro as duas!
6. Gosta de pão com o quê?
Com qualquer coisa...
7. Quantos filhos tem?
Nenhum
8. Se fosse outra pessoa seria seu amigo?
Se fosse outra pessoa acho que seria a minha melhor amiga...
9. Saltaria de bungee-jump?
Não.. mas acho que seria interessante…
10. Desamarra os sapatos antes de tirá-los?
Não..
11. Acreditas que és uma pessoa forte?
Isso é relativo.. Penso que todos temos momentos na nossa vida em que caímos e de alguma forma voltamos a levantar-nos. Forte? Não sei... Eu diria que sou uma pessoa que facilmente dá a volta às situações.
12. Gelado favorito?
CARTED’OR
13. Vermelho ou preto?
Vermelho
14. O que menos gostas em ti?
Gosto de mim como sou.. mas tenho que admitir que há uma qualidade minha pessoal que às vezes pode ser algo contraproducente, adoro fazer as coisas com calma, sem stress…
15. O que mais gostas em ti?
A minha capacidade de querer fazer tudo bem, a persistência, discutir com boas maneiras, acho que sou boa companheira e com alguma sensibilidade para determinados aspectos.
16. De quem sente saudades?
Sinto saudades do meu país, das suas praias, do seu calor, do verão durante todo o ano.. da minha avó, das minhas irmãs. Em fim, de todas as pessoas que de alguma maneira compartiram momentos únicos comigo mas que não consigo ver com frequência. Sinto saudades sempre!
17. Descreva que roupa e calçado está a usar agora.
Pijama (acordei há pouco) LOL e estou de meias ;))
18. Qual foi a última coisa que comeu hoje?
Um iogurte com uma pão de cereais…
19. O que está escutando agora?
A chuva a cair lá fora e eu olhando pela janela...
20. A última pessoa com quem falou ao telefone?
Com o José Carlos..
21. Bebida favorita?
Adoro o sumo de laranja, compal de morango e goiaba, compal de pêra, 7up.
22. Comida?
Adoro qualquer tipo de vegetal bem preparado e adoro tudo o que tenha a ver com massas..
23. Último filme que viu no cinema e com quem?
Ché: O argentino e fui ver com o José Carlos
24. Dia favorito do ano?
Fim de ano e todos os 16 de cada mês..
25. Inverno ou Verão?
Verão
26. Beijos ou abraços?
Adoro os dois..
27. Sobremesa favorita?
Brownies, creme-leite ou morangos com chantilly
28. Que livro está a ler?
Neste momento não estou a ler nada... Gostava de ler o “vendedor de sonhos”
29. O que tem na parede do seu quarto?
hmm.. nada!
30. Filmes favoritos?
Tenho muitos.. mas se calhar aquele que mais gostei dos últimos tempos foi “7 vidas”.
31. Onde foi o lugar mais longe que já foi?
Nasci na Venezuela, vivi 4 anos nos EE.UU e agora estou em Portugal. Por isso, o mais longe foi Portugal.
32. Uma música?
Alma Llanera – Venezuelan Music
33. Uma frase?
"Be you’re self"
Passo o desafio a todos os que quiserem experimentar!
Bom Fim de Semana…

sexta-feira, 17 de abril de 2009

Uma questão de…



Os princípios na nossa sociedade têm mudado bastante. Aquilo que era esperado no passado de um homem continua, actualmente, sendo o mesmo? Gostava de ter resposta a esta questão, sem pensar muito na opinião das mulheres e posicionando-me desta vez do lado contrário. Eis quais os princípios que guiam actualmente o cavalheirismo… Uma perspectiva que até hoje não tinha ponderado. Amigo, pai, irmão, namorado, avô… Homens em geral que oferecem atenção, cortesia, boas maneiras? Tal vez um acto, tal vez uma palavra ou apenas um simples gesto. É completamente certo que durante muitos anos o sexo feminino foi alvo de grandes constrangimentos. A história da humanidade mostra isso e vai mais além ao focar momentos em que isto deixou de ser assim. A evolução mostra que os homens assumiram outra posição face às mulheres, sendo estas últimas percepcionadas como “capazes” quer intelectual, quer fisicamente. Acredito que entre outros motivos, este continue sendo um deles para o declínio do cavalheirismo. A questão que coloco… será que todas as mulheres estão receptivas ao cavalheirismo sem considerar isto uma posição que implora ideias de machismo e diferenças nas capacidades de género? Será que os homens utilizam o cavalheirismo para mostrar superioridade sobre o sexo oposto? Será errado assumir uma posição igualitária e não aceitar o cavalheirismo? A questão que coloco é simples…. Será que ainda existem homens capazes de convencer às mulheres de que são verdadeiros cavalheiros (prudentes e solidários)? Será que aceitar o cavalheirismo representa uma oportunidade de poder alimentar o EGO de superioridade masculina?
Neste final de tarde consigo concordar contigo!
Conheces o verdadeiro significado desta palavra. Adoro-te!
Quanto mais te conheço mais te considero um verdadeiro cavalheiro.


terça-feira, 14 de abril de 2009

Um reencontro...


O tempo passava e as horas se converteram em minutos, os minutos em segundos e os segundos finalmente começaram a bater mais forte sobre o meu peito. Saltando de um lado para o outro, a emoção não podia ser contida... O sorriso escorregou pelos meus lábios quando por sms dissestes “llegué.. besitos, tq.m”. Abri a porta e foi de seguida que senti aquele abraço confortável, aquele beijo delicado, aquele tacto e alegria que deslumbravam os teus olhos. Iluminastes aquele momento e eu ainda não acreditava que já tinha chegado a hora. Pareceu uma eternidade todo este tempo… Senti muitas saudades tuas!
Sabes? Estou convencida que é a nossa capacidade de inércia que não tem coincidência… De mãos dadas contigo, no lugar de costume; um ao lado do outro; altura exacta para cativar o teu olhar. Esqueci o resto e agarrei-me aos “sinais” que mandavas querendo falar. O efeito de espelho se produziu e foi instantâneo… eu disse “…” e depois também dissestes “te amo”. Falastes e eu falei… Os meus olhos como janelas não asseguraram a emoção e aquele momento despertou a necessidade de se expressar. Chorei. Foi alegria.. Os teus dedos sensíveis a isso limpavam tenuemente as gotas de água, repetindo como criança “não.. não chores..”. Foi instinto! Simplicidade conjugada com uma gargalhada que não consegui aguentar ao ver os teus dedos cheios da mascara que se desprendia das minhas pestanas.
Sabes? Há dias em que consegues surpreender-me sem te aperceberes disso mesmo.
Foi uma tarde grande para memoriar..

sábado, 11 de abril de 2009

(In)Resposta aos dias na Espanha…

Dias que passaram num abrir/fechar de olhos e ao som de velhas canções (“rosa es una rosa” - mecano). De um modo diferente passaram os dias cheios de uma boa disposição. Não posso negar que quanto mais rápido as horas passavam tanto mais me sentia perto de ti... Sinais, mensagens sublimes, recordações que te traziam ao acto… Sempre tu!! Sinto que passei “bons momentos” e sem dúvida tu contribuíste para que isso fosse dessa maneira. Adoro estar na Espanha! Cada vez que vou confirmo aquilo que eu sempre costumo dizer. De facto, quem me conhece sabe bem que uma das coisas que mais adoro é o espírito e o ar que se respira em qualquer rua, praça, estação, centro comercial, loja ou até mesmo à porta de um vulgar WC. Parece que é uma questão simples de explicar. Um simples “Hola!”, um simples cumprimento gentil é capaz de mudar drastica e completamente a forma como qualquer um encara o seu dia. Ritmo, entusiasmo, boa disposição e diversidade cultural. Todos iguais, todos diferentes, todos no mesmo mundo cosmopolita. Espanhóis, Latinos, Árabes, Asiáticos… Vidas que se cruzam numa cidade grande com oportunidades para todos. Se tenho que dizer mais alguma coisa, sem duvida diria que cada vez que vou a Espanha sinto que tu estas comigo.. Sinto que estas aí e sinto a segurança de que não há nada na distancia capaz de destruir algo que é tão grande.  
Enquanto alguns pensam naquilo que irão pôr na mesa durante as Pascoas outros friamente apenas vivem mundos diferentes encontrando a paz e as respostas que precisam.
"Deus não tem nenhuma religião."
(Mahatma Gandhi)

terça-feira, 7 de abril de 2009

Es por..



Es porque voy a extrañarte en los próximos días que escribo este post… Es porque eres especial. Es porque sé que cada parte de mi llamará por ti. Es porque inevitablemente no sabré ocultar la tristeza de no estar contigo. Es porque pienso en tu ausencia. Es porque sin poder evitarlo siento lo importante que eres para mi. Es porque la ausencia de tu presencia llenará mi tiempo con una fotografía a blanco y negro. Es por sentir que cada mirada se confunde con la ambivalencia de querer quedarme. Es por sin querer pensarlo que me encuentro llorando. Es por saber que conseguiremos ultrapasar estos días que siento necesidad de decirte que estarás siempre conmigo. Es porque confío en ti, es porque confío en mi… Es por la simplicidad de nuestro amor. Es porque ambos sabemos lo que significamos. Es por la sintonía de nuestros ojos. Es porque ambos sabemos la grandeza descubierta detrás de cada una de nuestras miradas llenas de agua. Es por la ternura de nuestros besos. Es porque ambos sabemos lo que entregamos en cada uno de ellos. Es por la espera de nuestros encuentros. Es porque ambos sabemos lo difícil que será. Es por la delicadeza de nuestras manos. Es porque ambos conocemos la sutileza de nuestros dedos. Es porque somos artistas moldando cada línea de nuestro rostro y estoy segura que seriamos capaces de dibujar cada rasgo. Es la complicidad de nuestras conversas. Es porque ambos sabemos que compartimos una infinidad de intereses. Es porque lo que nos acerca es el querer escuchar nuestras voces murmurando al oído. Es porque sabemos que nuestros días no son los mismos cuando no estamos juntos. Es por todo esto y mucho más que sé que será difícil pasar los próximos días…
Es porque te amo que voy a extrañarte...

segunda-feira, 6 de abril de 2009

Ferias..



As ferias da Pascoa começaram há alguns dias atrás e estou sempre a fazer alguma coisa.. parece mentira mas é nesta altura em que muitas vezes conseguimos pôr em desordem a nossa própria ordem. Fazemos tudo aquilo que durante os dias habituais não costumamos fazer… rotinas que se afunilam num desabafo profundo. Finalmente de férias depois de umas semanas apertadas com mini-testes! Sem dúvida de sombra, serão dias para descansar de algumas rotinas e implementar outras… É pena que só seja uma semana.
Agora aproveitar.. Boa Semana para todos!!