sábado, 26 de setembro de 2009

Frase #3



Há dias em que somos realmente surpreendidos pela vida. Por diversos motivos, todos temos segredos, coisas que só nos pertencem a nós próprios e que de modo algum gostamos de partilhar com certas pessoas. Temos direito a ter segredos e a comparti-los só com quem desejamos. Temos o livre arbítrio de decidir o que queremos contar ou não contar. Hoje aprendi que não podemos permitir que o medo nos invada e não nos deixe viver. Hoje aprendi que os grandes segredos só podem ser descobertos por acaso, sabem porque? Porque...        
"Aquilo que mais secretamente tememos acaba sempre acontecendo"
Albert Camus - Escritor

domingo, 20 de setembro de 2009

Continuamos a crescer..



Há dias para reflectir sobre nós e o quanto mudamos. Somos matéria vida em constante metamorfose - não só física mas também intelectual e emocionalmente. Em dias como hoje é que damos conta do quanto crescemos, somos capazes de ver as mesmas situações, os mesmos desafios, as mesmas encruzilhadas, os mesmos sentimentos de alguns anos atrás de uma forma completamente diferente. Mudamos! Mudamos sem nós próprios nos apercebermos disso mesmo. Hoje sou capaz de assegurar nas minhas mãos alguns pedaços de histórias, recortes de momentos consolidados no tempo e argumentos válidos que pensei absolutos para vida inteira, agora cada vez menos coesos. A vida se transmuta e as vezes até parece outra quando compartida e continuada a dois… há dois anos atrás o rumo da minha vida tinha provavelmente outra direcção; hoje, o rumo é aquele que ambos olhamos na mesma direcção. 
Estava sentada ao teu lado, 50cm de distância dos teus olhos... 
foi assim como me apercebi do quanto crescemos em conjunto, 
foi assim como me apercebi da geometria da nossa relação!

sábado, 12 de setembro de 2009

Frase #2



Quantas vezes sonhamos durante uma semana? Quantas vezes sonhamos ao longo de um mês? O que é que sonhámos? De que forma interpretamos o que sonhamos? São sonhos coerentes?
1/3 parte das nossas vida é passada a dormir. Esta função da natureza humana tão importante nas nossas vidas pode ter, segundo diferentes autores, objectivos diversos simultaneamente. Para os antropólogos, os sonhos representam um passeio nocturno da nossa alma; para os biólogos, os sonhos permitem manter o nosso cérebro em alerta e vigorizado; para os fisiólogos, os sonhos permitem consolidar as aprendizagens e os processos de memória; e ainda encontramos os psicanalistas que consideram que… 
"Um sonho é a tentativa de satisfazer um desejo"
- Sigmund Freud - 
(Fundador da Psicanálise)
Pessoalmente, considero que sonhar é um processo misterioso mais interessante que o próprio estado de vigília. No sonho somos capazes de ver um gato sem cabeça, um familiar já morto com vida, uma árvore com rosto, etc. Mistura-se realidade com irrealidade, coisas possíveis com outras impossíveis... Tal como quando nos afastamos do mundo exterior e fechamos a porta do nosso quarto para estudar, de igual modo a mente parece abstrair-se do mundo exterior para começar a jogar no mundo do sonho. São os desejos e as impressões guardadas lá dentro capazes de nos fazer experimentar e sentir tanto o mundo exterior como o interior. É incrível... parece como se sonhássemos que estamos num jogo em que a nossa mente nos faz sentir num mundo bastante real. Adoro sonhar e mais ainda quando sou capaz de sonhar acordada! 

sexta-feira, 11 de setembro de 2009

Agradecer!



Como é que o mundo chegou a ser aquilo que é actualmente? Poderíamos discutir uma infinidade de aspectos, mas a verdade é que o mundo é uma sucessão de intermináveis manchas de tinta (tal como o Teste de Rorschach). Algumas pessoas vêem coisas formidáveis; outras coisas feias e horríveis, mas o mais frequente é que tanto umas como as outras vejam coisas correntes e habituais. Todos concordamos que temos as nossas próprias percepções, sentimentos, opiniões e memórias. Quando alguém põe o juízo pela frente, podemos sentir-nos ofendidos com qualquer coisa completamente natural. Se eu tropeçar com uma pedra e os meus dedos ficassem lastimados até o ponto de chorar e alguém me dizer, “Vá, isso não foi nada! deixa de dramatizar” – eu sentir-me-ia ofendida. Por outro lado, se eu começo a rir-me do acontecido e alguém me reprochar, “Isso não tem graça nenhuma” – eu também sentir-me-ia ofendida. Dar “graças” não exige que censuremos as nossas percepções, opiniões e sentimentos; não exige ver sempre jardins quando na verdade vemos coisas desagradáveis. É importante não esquecer que este mundo é uma sucessão interminável de manchas de tinta que podemos voltar a ver sempre que queiramos. A nossa memória nunca acaba… Por vezes, olhando para trás, encontramos algo pelo que podemos agradecer. Acreditem que vale sempre a pena saborear e apreciar o prazer de agradecer pelas vivências pequenas e agradáveis que passaram desapercebidas no meio das manchas de tinta. Já é costume minha agradecer todos os dias pelo que tenho e não tenho. Muitas vezes, aquilo que temos é o que precisamos! Se nunca agradeceram nada, proponho-vos que façam um exercício: 
Dia 1: Agradeçam pela comida que comem. (Não modifiquem a alimentação habitual por isto).
Dia 2: Agradeçam pela casa, apartamento ou lugar onde dormem.
Dia 3: Agradeçam pelas pessoas que amam ou apreciam. 
Dia 4: Agradeçam ao seu colega, amigo(a) pelos momentos vividos. 
Dia 5: Agradeçam por qualquer “bom momento” que tenham tido na vossa vida. 
Dia 6: Agradeçam pelos pequenos prazeres.  
Dia 7: Agradeçam pela música que podem ouvir. 
Dia 8: Agradeçam pela oportunidade de poder obsequiar um sorriso todos os dias.
Dia 9: Agradeçam pelas pessoas honradas, inteligentes, bem-intencionadas que existem no mundo. Limite-se a adverti-las quando sejam conscientes da sua existência.   
Dia 10: Agradeçam todos os dias por terem acordado!!
Simplesmente agradeçam...

quinta-feira, 10 de setembro de 2009

Mira la esencia, no las apariencias


No es un mandamiento ser la diva del momento (wow)
Para que trabajar por un cuerpo escultural,
A caso deseas sentir en ti todos los ojos,
Y desencadenar silbidos al pasar...

Mira la escencia, no las apariencias (x2)

El cuerpo es solo un estuche y los ojos la ventana,
De nuestra alma aprisionada (oye)

Mira la escencia, no las apariencias (x1)
Que todo entra por los ojos dicen lo superficiales,
Lo que hay adentro es lo que vale

Siento en el aire, un aroma espiritual
Mensajeros halados intentando aterrisar
Si abres el estuche lo que debes encontrar
Es una joya que te deslumbrara (hay pero)

Mira la escencia, no las apariencias (x2)

90-60-90, suman dosientos cuarenta,
Cifras que no hay que tener en cuenta (oye)
Mira la escencia, no las apariencias (x1)
No te dejes medir, no te dejes confundir alusate haste valer
alusate haste valer (x5)

quarta-feira, 9 de setembro de 2009

Frase #1



Hoje dou início a um novo espaço. Quero dar voz às frases célebres dos grandes pensadores, escritores, poetas, cantantes, empresários, políticos, visionários e entre outros. Um repertório de frases que poderão descrever da melhor maneira uma atitude, uma circunstância, uma acção ou um simples sentimento do meu dia-a-dia!
Porque hoje quero reflectir sobre isto…
 “O pensamento é a semente da acção”
- Ralph Waldo Emerson -
(Escritor, filósofo e poeta estado-unidense)
Quantas vezes ficamos esperando que a nossa vida mude? Se nós próprios podemos gerar a mudança que tanto desejamos, porque é que ficamos a espera? Somos responsáveis daquilo que pensamos e como tal podemos assumir um papel mais activo na produção de pensamentos que geram mudanças positivas. Porque os pensamentos influenciam os comportamentos, porque os comportamentos influenciam os pensamentos... não há limitações para isso não acontecer. Basta juntar desejo + vontade + pensamento para gerar um sem fim de oportunidades de mudança.

segunda-feira, 7 de setembro de 2009

Cleaning!


Há dias em que não nos apetece sair de casa... só queremos ficar dentro dela, naquele cantinho reconfortável do nosso quarto, naquele espaço que nos faz pensar e pensar sem parar. É assim como damos conta de nós pensando na vida, pensando nos novos projectos, nas mudanças a implementar, nos desafios, nas vantagens, nas virtudes e nos defeitos que temos que carregar. Foi um dia que começou com a simples vontade de organizar, arrumar, limpar e deixar a desordem das férias para atrás… é tão difícil recomeçar! Hoje constatei um dos meus princípios mais básicos… limpar é um acto que me liberta profundamente e mais ainda quando sou capaz de deitar fora tudo aquilo que por algum extranho motivo guardei no armário, nas gavetas ou mesmo naquele cantinho invisível do meu quarto... 

Há dias para tudo, hoje foi um dia para limpar
e deitar fora tudo o que já não presta!

sexta-feira, 4 de setembro de 2009

Estou assim…



Com vontades acrescidas de um bom banho; daqueles majestosos em que saio a pingar água até chegar ao meu quarto; de esfoliar com açúcar todo meu corpo; de pôr pepino nos olhos; de deitar-me e pôr aquele creme de bebes que tanto gosto (Johnson’s Baby – bedtime lotion); pôr os pés em água morna com umas gotas de essência de rosas; pintar as unhas sem muita dificuldade; usar uma maquilhagem nova e pôr aquele perfume que mais gosto; em definitiva, hoje estou com vontades de usar aquela saia que por complexo nunca usei...
Estou com vontades acrescidas de algo diferente!
Hoje é o dia…

quarta-feira, 2 de setembro de 2009

(In) Real



Hoje “Ella” em busca daquilo que lhe acontecia chegou a conclusão que só pode estar alucinando. Dizem que alucinar é o mesmo que ter visões ou sensações não reais produto da mente. Será que “Ella” foi capaz de alucinar por gostar muito de uma pessoa? A verdade é que “Ella” viu a silhueta dessa pessoa, sentiu o seu perfume e ouviu palavras sussurradas ao seu ouvido. “Estou alucinando contigo?” – pensou “Ella” no meio da noite. Surpreendida, o seu coração batia aceleradamente; o assombro invadiu os ossos congelados de medo. “Ella” pôs-se a pé, olhou de um lado e do outro.. o seu quarto estava vazio (“El” já não estava aí), ficou sentada a espera que voltasse aparecer mas isso não aconteceu… “El” só lhe deixou uma experiência insensata e carente de sentido comum.  
Cá para mim todos alguma vez na nossa vida
alucinamos de alguma maneira
Terá “Ella” alucinado?