terça-feira, 30 de agosto de 2011

Essência de um momento#8 És assim..


"Tu és isto para como o céu azul, aquele que me permite iluminar sua própria existência... Um céu grande que desenha as melhores nuvens, mesmo nos dias de tormenta". 

Adoro esta fotografia :) é uma espécie de anjo cantando para o céu... uma fotografia que capta a essência de um momento...  

segunda-feira, 29 de agosto de 2011

Independência no casal... ou não...



Ora bem, há uma coisa que eu definitivamente não compreendo... há pessoas mesmo iludidas com uma ideia errada de "casal", "namorado", "companheiro", "alguém com quem estar", "pior é nada", etc.. Todos sabemos que a partir do momento em que iniciamos uma relação com alguém, isto é suportado por algum motivo (atracção física, amor, interesses comuns, etc.). A verdade é que quando iniciamos uma relação há geralmente duas vidas semelhantes ou até completamente diferentes que se juntam... mas "nós" desde o inicio estamos minimamente conscientes destas realidades opostas ou iguais... mas estou farta de tentar perceber como é que alguém pode iniciar uma relação e passados seis meses ou inclusive até menos, começar a querer/desejar algo completamente diferente... para mim isto é brincar com as pessoas da maneira mais cruel possível! Que raio de sociedade é esta em que vivemos; em que os namorados trocam-se como se de um objecto se tratasse (na melhor das hipóteses de seis em seis meses). O importante perdeu-se; aquilo que era essencial para iniciar uma relação e manter-la é hoje em dia um absurdo para muitas pessoas. Isto é triste... A minha conclusão é que definitivamente um "casal independente", onde o lema principal "cada um por si" predomina não faz sentido nenhum. É verdade, que é importantíssimo manter um grau de independência (a nossa independência em determinados assuntos), mas a partir do momento que transpomos essa ideia de independência para a relação de casal em si, esqueçam... porque tudo, absolutamente tudo deixa de fazer sentido. Podemos ter graus de autonomia numa relação e quando se roça qualquer um dos seus extremo é uma relação que eu costumo chamar caótica. Sabem, o que é pior de tudo? Que cada vez há mais relações caóticas, pura e simplesmente porque as pessoas já não querem assumir compromissos, nem estão dispostas a deixar nem que seja um bocadinho a sua famosa independência! 

As pessoas querem é gozar, viver e fazer 
aquilo que melhor lhes apetece sem importar o outro...
Enquanto esta mentalidade egoísta e mesquinha não mudar
dificilmente as pessoas poderão TER aquilo 
que tanta INVEJA lhes causa ver em alguns casais excepcionais... 
Porque a dança é a dois e a sua harmonia não reside na autonomia dos que dançam, mas sim na conjugação dos elementos, movimentos e passos...

domingo, 28 de agosto de 2011

...



Será algures por aqui que estarei nos próximos dias... Agora só preparo a mala e me concentro para passar o melhor momento das minhas férias deste ano com Ele. Tenho a fiel convicção que será memorável...

Até breve...  

sábado, 27 de agosto de 2011

... um momento só meu...


Sinto-me calma, tranquila e com uma enorme sensação de paz interior. Intuitivamente é sentir-me maravilhosamente acompanhada por mim mesma, como se a música que oiço ao meu redor é aquela que também se ouve aqui adentro. Sentidos ligados num único propósito... harmonia simplesmente perfeita, sincronizada na linha ascendente da luz violeta-dourada do meu ser... 

... porque hoje sinto-me assim :) 
Algo me diz que será um fim-de-semana para relax e meditação...
Bom fim-de-semana para todos!

quinta-feira, 25 de agosto de 2011

Maternidade...




As mudanças culturais, as dificuldades das mulheres em conseguir entrar no mercado laboral, a escassa intervenção dos poderes públicos no sustentamento familiar e as deficiências do sistema sanitário em relação à qualidade de assistência durante a gravidez, o parto e o pós-parto relegam a maternidade a um segundo plano nesta sociedade. Por este motivo, não é infrequente encontrar mulheres com imensas dúvidas acerca desta aventura da maternidade ou não. Não é por acaso que cada vez são mais mulheres de idade avançada as que ficam gravidas ou enfrentam a maternidade... Em contrapartida, é compreensível que ficar gravida com uma determinada idade seja assustador por diversos motivos (que para aqui não são agora chamados). Ser mãe implica muita responsabilidade e renúncia, desde a independência, o descanso, as saídas com liberdade, trabalho, família, amizades, vida social, mudanças físicas, etc... Uma mulher que pondera todas estas questões à hora de ser ou não ser mãe, é desde o meu ponto de vista uma pessoa responsável e consciente de tudo o que um filho pode trazer para sua vida. Não todas as mulheres estão dispostas a assumir estas mudanças e hoje em dia, em particular, graças aos métodos contraceptivos e mudanças sociais, ter filhos não é uma obrigação mas sim uma escolha. Não, não é nada do que estão para aí a pensar (não pretendo ficar gravida), a questão que se coloca aqui neste espaço é a dificuldade que muitas mulheres hoje em dia enfrentam ao decidir ser mães ou não... não é uma decisão fácil, com certeza... mas vamos lá ver, esta decisão passa por analisar concretamente quais os medos que estão associados à gravidez/maternidade; estar plenamente de acordo com o parceiro acerca desta questão, pois quando ambos desejam, ambos estão mais facilmente envolvidos no processo, compartilhando experiências, medos e expectativas; e por fim, mas não menos importante, quando se compreende que ser mãe não é algo meramente instintivo, mas sim que grande parte das coisas relacionadas com a maternidade se aprendem com o tempo ...

Este post vai dedicado a um casal amigo que 
estão felizes com esta decisão que tomaram... 
Basta olhar para eles e ficar também felizes :)
Porque ambos superaram os medos, compreenderam o significado 
de ter um filho  e hoje continuam aprendendo a ser os melhores pais do mundo...
Porque quando ambos assim querem, tudo... 
absolutamente tudo é possível!
Parabéns a eles... 

terça-feira, 23 de agosto de 2011

:)


Hoje ao ficar na minha varanda da sala, completamente sozinha, olhando o pôr do sol, sentada no chão com pés descalços, um delicioso batido de nectarina, maça, melão e bastante gelo, fiquei a pensar naquilo que somos. Quantas vezes não ficamos a pensar nisto a dada altura da nossa relação? Muitas vezes, sem dúvida... faz parte de uma análise. Uma espécie de retrospecção com vista ao futuro. Se tivesse que procurar uma definição para "nós", seriam poucas as palavras que poderia utilizar... pois nós somos assim simples, complementares, práticos e algo de extraordinário... 

Simplesmente somos tu e eu...

Comunicação...




No nosso dia-a-dia estamos sempre comunicando de alguma forma ou outra... é inevitável não comunicar, bem seja de forma verbal ou não verbal. Estudos revelam que 80% da comunicação que transmitimos aos outros é não verbal. O peso que este tipo de comunicação tem é mais forte que o verbal. Dar e receber uma mensagem pode chegar a ser incongruente em alguns casos... De facto, um dos problemas mais frequentes na comunicação entre casais é precisamente essa... pois muitas vezes não há coerência na comunicação... Aquilo que é chamado de comunicação interpessoal é hoje em dia mais que nunca uma condição básica quando falamos de um casal, já que o amor que une duas pessoas não é outra coisa que o diálogo, entendimento e respeito. Tendencialmente, passa que a comunicação acaba, é difícil ou desaparece, e quando isso acontece, o casal simplesmente também desaparece. Dito de outra maneira, é a comunicação o que faz com que ambas partes se identifiquem com a relação. Uma vez compreendida a importância da comunicação no casal, é essencial que o casal saiba comunicar-se de um modo correcto e eficaz. O modo como se dizem as coisas pode alterar a percepção que se tem do outro, e inclusive de nós próprios. Assim, a forma como comunicamos pode fortalecer ou afectar a nossa própria auto-estima e afectar significativamente à relação. 

Em definitiva, ponhamos em prática a comunicação assertiva,
pois esta é a chave para uma boa comunicação... 
Ser capaz de discutir, trocar opiniões sempre com respeito e 
busca de pontos intermédios e negociáveis 
Isto sim... é de louvar hoje em dia numa relação...

segunda-feira, 22 de agosto de 2011

Músicas novas preferidas #26



Esta música simplesmente... adoro :)

Enjoy it...

Inveja...



Hoje fiquei a pensar nas pessoas que vivem com um sofrimento constante porque são uma pessoa diferente daquela que realmente desejam ser. Este sentimento leva-as muitas vezes a sentirem-se mal, chegando inclusive a ser vistas por outras pessoas como INVEJOSAS. A inveja é uma palavra que transmite tristeza e desejo por algo que não se tem... O facto de uma pessoa estar sempre a comparar-se com outra pessoa leva inevitavelmente a esquecer-se dela própria; quanto mais uma pessoa pensa na outra pessoa, mais tem a sensação de obsessão. A todos os que me colocam a questão de como lidar com esta situação (que para muitas pessoas resulta difícil), o meu conselho é sempre o mesmo... centrarem-se mais nas suas próprias coisas... 

Um factor a ter em conta é tomar consciência da auto-estima, ou seja, daquilo que pensam acerca de si próprias, das suas qualidades, capacidades... em definitiva, da sua forma de ser. Um modo de averiguar isto quando não consigam ver estas qualidades ou capacidades (o qual também por vezes é bastante frequente, pois a obsessão chegou até o ponto de cegar-vos acerca das suas próprias qualidades) é perguntar às pessoas que estão à vossa volta (pais, namorado, amigos) que vos conhecem bem... perguntem sem medo: o que achas de mim? como me caracterizas? o que pensas acerca da minha maneira de ser? se tivesses que escolher quatro palavras para me descrever, quais utilizarias? 

Outro factor a ter em conta é a valorização que fazem da pessoa que invejam... a forma como olham para essa pessoa pode ser cegada pela imagem que ela transmite e isto pode estar a distorcer a realidade... Muitas vezes aquilo que as pessoas transmitem não corresponde com a realidade. Por isso, muita atenção! Cada vez que prestes atenção ao que pensas e sentes respeito à outra pessoa, isto apenas deve servir como um sinal para pensar em ti e identificar aquilo que te leva a menosprezar-te, para assim poder conhecer o que em definitiva gostarias de melhorar...

Por fim, pode ser útil ter em conta a vossa satisfação em diferentes áreas, como por exemplo, a área matrimonial, laboral, familiar, etc. O contraste entre percepções positivas e negativas pode dar lugar a interacções/vivências que vão desde a agonia até a êxtase.... Sempre que se permitam ter pensamentos flexíveis poderão adoptar pontos de vista diversos e explorar alternativas que por sua vez facilitarão uma disposição para actuar de outro modo...    

domingo, 21 de agosto de 2011



Por aqui estamos de repouso durante 8 dias... 
Este fim-de-semana foram dois destes que saíram da minha boca...  

terça-feira, 16 de agosto de 2011

Um dia para registar na memória...



Por dois motivos diferentes hoje é um dia extremamente importante para mim:

Em primeiro lugar, Ele faz anos hoje. É um dia importante porque foi num dia como o de hoje que a existência dele neste mundo começou... e se tal não tivesse acontecido, provavelmente Eu não estaria hoje a contar o meu segundo grande motivo para hoje estar tão feliz. Acredito que todos nós nascemos para cumprir um objectivo na nossa vida, tal vez um plano deliberado por "alguém" que nós faz vir a este mundo, levando-nos a seguir rumos que achamos mais ou menos assertivos e aprendendo a cada instante com tudo o que nos acontece. Para mim os aniversários têm um significado que vai muito para além do bolo e da cantiga típica de todos os anos. Espero que a vida continue a sorrir para Ele e o seu verdadeiro objectivo nesta vida seja cumprido.   

Em segundo lugar, num dia como hoje comemorados os 3 anos e 3 meses juntos... parece que ainda foi ontem quando tudo começou. É com grande entusiasmo que chegamos a esta data relembrando diferentes momentos vividos e pensando nos que ainda estão por vir...


Hoje ao som de Joe Cocker...
Enjoy it... 

Músicas novas preferidas #24


Enjoy it...

quinta-feira, 11 de agosto de 2011

Músicas novas preferidas #21




Umas das músicas deste verão que não posso deixar de ouvir!

Enjoy it...



Conclusão do dia...




Hoje cheguei à conclusão que:


"Vivemos num mundo cheio de barulho, ruído, contaminação acústica, sobretudo, se temos em consideração a maior parte das pessoas hoje em dia (geralmente idosos e não só) têm ouvidos muito sensíveis".



terça-feira, 9 de agosto de 2011

Músicas novas preferidas # 20

Hoje Sergio Dalma...



Enjoy it...



Só agora???



Muitos irão pensar Só Agora???? Ahh, pois é... só agora é que eu me apercebi das maravilhas destes panos de mircrofibras. As minhas tarefas domésticas eram um autêntico pesadelo, principalmente quando se tratava de limpar vidros, metais e espelhos. Tudo ficou linda e consideravelmente melhor desde que comecei a usar estes paninhos para limpar. Basta colocar um pouco de desinfectante ou produto que mais gostamos e passar por tudo aquilo em que queremos deixar a brilhar. 

Adorei, adoro e penso que vou continuar adorar!

domingo, 7 de agosto de 2011

Sumo de Tomates


Sim, é sumo de tomate... delicioso! Nunca antes tinha experimentado, mas deixem-me dizer-vos que é muito bom ao contrário do que muita gente pode vir a pensar. Sintam-se tentados a experimentar, além disso, o tomate é uma fruta rica em vitaminas C, E e A. Contém ácidos orgânicos e o licopeno. Este último é de especial interesse, pois está associado com a protecção preventiva contra o câncer de próstata e efeitos positivos sobre a saúde cardiovascular. O potássio e a vitamina C incrementam a actividade do nosso sistema imune, e estimula o metabolismo e pode atuar como diurético natural.

quinta-feira, 4 de agosto de 2011

Fanatismos...


Quando alguém me diz "qual é o mal dos fanatismos?", a minha postura é radicalmente específica em relação a isto porque me parece algo muito óbvio, mas pelos vistos sou muito mais complexa do que eu imaginava ou se calhar demasiado simples do que eu imaginava. Não posso ficar fria e indiferente perante esta pergunta, que diga-se a passagem, foi feita com um tom algo irónico e ao mesmo tempo com elevados níveis de ansiedade, tal vez a espera pela minha (re)aprovação conclusiva acerca do assunto. Atrevo-me a dizer que o fanatismo não tem mal nenhum... acreditem, não tem mal nenhum! O fanatismo existe e existe mesmo em grandes doses nesta sociedade, daí que resulte extremamente impossível para algumas pessoas olhar objectivamente para as reais consequências do fanatismo... Na minha humilde opinião, o mal não esta no fanatismo em si, mas sim na pessoa que pratica o fanatismo. Para mim, o fanatismo é símbolo de irracionalidade e visão curta de quem o pratica. Para mim, o fanatismo é também símbolo de excessos... e nada em excesso jamais poderá fazer bem a ninguém. Uma pessoa que por qualquer motivo pratique o fanatismo acabará sendo alguém com um elevado apego a determinadas coisas e isto, por sua vez,  o tornará alguém afastado de outras realidades (muitas vezes até mais importantes).

Um dos fanatismos reais que assisto diariamente neste pais é o fanatismo pelo futebol, o qual de um modo geral afecta a todos os homens nas suas mais variadas idades. Desde o mais pequeno até o mais idoso; é um mal generalizado, engendrado na própria cultura portuguesa (por não dizer que nos próprios genes). Logicamente, há algumas contadas excepções... mas acreditem quando digo que são raras estas excepções. 

Para constatar isto: 
- Basta logo de manhã entrar num café e ver os homens a tomar o pequeno-almoço, lendo ao mesmo tempo o jornal "A bola" antes de qualquer outra noticia do país realmente mais importante. E ainda me perguntam qual é o mal dos fanatismos?

- Basta estar sentada durante alguns minutos numa praça e ouvir a um grupo de homens a falar e discutirem sobre futebol, chegando muitos inclusive a tornarem-se agressivos (verbal ou fisicamente). E ainda me perguntam qual é o mal dos fanatismos? 

- Basta ir ao barbeiro/cabeleireiro e o único e melhor tema de conversa entre eles é sempre o mesmo (o futebol). E ainda me perguntam qual é o mal dos fanatismos?

- Basta entrar na casa de qualquer português e observar algum quadro, bandeira, símbolo ou seja lá o que for, logo na entrada da casa, para todos ficarem a saber qual é o seu clube de coração e alma. E ainda me perguntam qual é o mal dos fanatismos?  

- Basta olhar pelas janelas num dia típico de jogo e observar como estão todos os homens no café mais perto da sua casa para ver o jogo, sendo em alguns casos homens pais de família. Não estão sozinhos, porque o mais provável é que estejam na companhia dos seus três melhores amigos ou de uma bela cerveja/ fino. Isto tudo, enquanto a mulher, provavelmente, esta em casa tratando de todos os pormenores para o dia seguinte de trabalho, preparando as crianças para irem dormir ou no pior dos casos completamente sozinhas. E ainda me perguntam qual é o mal dos fanatismos? 

- Basta ver como alguns homens ainda muito jovens são capazes de deixar a namorada pendurada só para irem ver um jogo de futebol como se o jogo fosse a única e verdadeira coisa mais importantes na sua vida. No pior dos casos, alguns levam as namoradas para tomar café e deixam-as penduradas no próprio café, sem dizer meia palavra durante o jogo.  E ainda me perguntam qual é o mal dos fanatismos? 

Reflictam e poupem-me ter que enumerar mais exemplos...
Tirem as vossas próprias conclusões e digam-me afinal...
Qual é o mal dos fanatismos? ou melhor ainda... 
Qual é o mal de quem pratica os fanatismos?

quarta-feira, 3 de agosto de 2011

terça-feira, 2 de agosto de 2011

:)


Sem dúvida das melhores opções quando se quer fazer uma viagem nos tempos actuais de grande dificuldade económica. Os meus pais, as minhas irmãs, meu namorado, amigos e até eu nos temos beneficiado lindamente das ofertas da Ryanair. A todos os que desejam fazer uma vaigem nestas férias e conhecer sitios diferentes,  Abstinência de Palavras deixa-vos aqui uma sugestão e forma relativamente económica de fazer férias... 


A pesar do que possam algumas pessoas pensar, vale mesmo a pena... 




Rotina diária #12



Confesso que são poucas as fragrâncias que cativam a minha atenção logo desde o primeiro momento. 
Eis aqui uma que gosto mesmo muito e que agora faz parte das minhas escolhas à hora de colocar um belo perfume... 






segunda-feira, 1 de agosto de 2011

Conclusão do dia...


A conclusão do meu dia de hoje:

"The best and most beautiful things in the world cannot be seen, nor touched"