quinta-feira, 4 de agosto de 2011

Fanatismos...


Quando alguém me diz "qual é o mal dos fanatismos?", a minha postura é radicalmente específica em relação a isto porque me parece algo muito óbvio, mas pelos vistos sou muito mais complexa do que eu imaginava ou se calhar demasiado simples do que eu imaginava. Não posso ficar fria e indiferente perante esta pergunta, que diga-se a passagem, foi feita com um tom algo irónico e ao mesmo tempo com elevados níveis de ansiedade, tal vez a espera pela minha (re)aprovação conclusiva acerca do assunto. Atrevo-me a dizer que o fanatismo não tem mal nenhum... acreditem, não tem mal nenhum! O fanatismo existe e existe mesmo em grandes doses nesta sociedade, daí que resulte extremamente impossível para algumas pessoas olhar objectivamente para as reais consequências do fanatismo... Na minha humilde opinião, o mal não esta no fanatismo em si, mas sim na pessoa que pratica o fanatismo. Para mim, o fanatismo é símbolo de irracionalidade e visão curta de quem o pratica. Para mim, o fanatismo é também símbolo de excessos... e nada em excesso jamais poderá fazer bem a ninguém. Uma pessoa que por qualquer motivo pratique o fanatismo acabará sendo alguém com um elevado apego a determinadas coisas e isto, por sua vez,  o tornará alguém afastado de outras realidades (muitas vezes até mais importantes).

Um dos fanatismos reais que assisto diariamente neste pais é o fanatismo pelo futebol, o qual de um modo geral afecta a todos os homens nas suas mais variadas idades. Desde o mais pequeno até o mais idoso; é um mal generalizado, engendrado na própria cultura portuguesa (por não dizer que nos próprios genes). Logicamente, há algumas contadas excepções... mas acreditem quando digo que são raras estas excepções. 

Para constatar isto: 
- Basta logo de manhã entrar num café e ver os homens a tomar o pequeno-almoço, lendo ao mesmo tempo o jornal "A bola" antes de qualquer outra noticia do país realmente mais importante. E ainda me perguntam qual é o mal dos fanatismos?

- Basta estar sentada durante alguns minutos numa praça e ouvir a um grupo de homens a falar e discutirem sobre futebol, chegando muitos inclusive a tornarem-se agressivos (verbal ou fisicamente). E ainda me perguntam qual é o mal dos fanatismos? 

- Basta ir ao barbeiro/cabeleireiro e o único e melhor tema de conversa entre eles é sempre o mesmo (o futebol). E ainda me perguntam qual é o mal dos fanatismos?

- Basta entrar na casa de qualquer português e observar algum quadro, bandeira, símbolo ou seja lá o que for, logo na entrada da casa, para todos ficarem a saber qual é o seu clube de coração e alma. E ainda me perguntam qual é o mal dos fanatismos?  

- Basta olhar pelas janelas num dia típico de jogo e observar como estão todos os homens no café mais perto da sua casa para ver o jogo, sendo em alguns casos homens pais de família. Não estão sozinhos, porque o mais provável é que estejam na companhia dos seus três melhores amigos ou de uma bela cerveja/ fino. Isto tudo, enquanto a mulher, provavelmente, esta em casa tratando de todos os pormenores para o dia seguinte de trabalho, preparando as crianças para irem dormir ou no pior dos casos completamente sozinhas. E ainda me perguntam qual é o mal dos fanatismos? 

- Basta ver como alguns homens ainda muito jovens são capazes de deixar a namorada pendurada só para irem ver um jogo de futebol como se o jogo fosse a única e verdadeira coisa mais importantes na sua vida. No pior dos casos, alguns levam as namoradas para tomar café e deixam-as penduradas no próprio café, sem dizer meia palavra durante o jogo.  E ainda me perguntam qual é o mal dos fanatismos? 

Reflictam e poupem-me ter que enumerar mais exemplos...
Tirem as vossas próprias conclusões e digam-me afinal...
Qual é o mal dos fanatismos? ou melhor ainda... 
Qual é o mal de quem pratica os fanatismos?

Sem comentários:

Enviar um comentário

Que pensas sobre isto? Desejas partilhar algo parecido? Concordas ou não?
Obrigada pela visita!