quarta-feira, 30 de novembro de 2011

Este sim que foi um café especial...


...esta fotografia é para um dia relembrar que foi no Centro de Braga, naquele café chamado Ferreira Capa que bebi um dos melhores cafés de toda minha vida...


Adorei...

terça-feira, 29 de novembro de 2011

terça-feira, 22 de novembro de 2011

Um Paseo em Fotografias... coisas em atraso para mostrar! :)

Passeio pelo Bom Jesus

Ele
Excelente pôr do sol
  
Eu

Adoro esta fotografia


Um excelente dia!! 
Um excelente passeio com Ele!!

segunda-feira, 21 de novembro de 2011

Primark em Braga Parque*





Já vai lá algum tempo desde a tão esperada abertura do Primark no Braga Parque e ainda hoje em dia vejo entrar e sair pessoas de lá com sacas nas mãos... acho que qualquer pessoa que entra tem que sair obrigatoriamente com alguma coisa por muito pequena que seja... só pode ser!! 

Compras compulsivas?!? Boas promoções?!? Consumismo a falar?!?

onde esta a crise neste país?!?* 
alguém me explica...

Infidelidade?!?




Um tema que a muitos interessa porque já alguma vez ouviram falar sobre o mesmo ou infelizmente já viveram uma experiência de infidelidade. Caros leitores, a pesar da infidelidade ser cada vez mais frequente, espero que a grande maioria se situe, igual que eu, no primeiro caso. Falar de infidelidade não é fácil, principalmente, porque podem existir situações concretas que para pessoas diferentes podem significar (não) infidelidade. Eu costumo dizer que as relações fora do casal nada se justificam, se existe algum problema dentro do casal ou alguma insatisfação de qualquer tipo, esta discrepância deve ser comunicada e resolvida dentro do casal. Em alguns casos, a pessoa infiel procura: 

- Preencher algum vazio existente na relação; 
- Encontrar um terceiro com características ausentes no parceiro ou nele próprio; 
- Fugir à monotonia da relação; 
- Uma maneira de introduzir pressão para que o parceiro actual mude; 
- Castigar ao parceiro por infidelidades prévias; 
- Excitação e aventura na relação.  
- etc. 

Os motivos pelos quais alguém é infiel nem sempre são tão racionais como podemos pensar, há pessoas que são infiéis, porque pura e simplesmente sentem prazer em "quebrar regras" ou porque sentem necessidade de independência. No outro dia, estava a ler que "nós" seres humanos temos uma tendência para idealizar as relações que não puderam ser e aquelas situações impossíveis, e penso que a infidelidade poderá ser um pouco encarada como o resultado desta tendência do proibido, do impossível, do nunca antes feito, do não conseguido.

O meu conselho para todos os que estão a ler este post é que 
se alguma vez passa pela vossa cabeça ser infiel, 
pensem nas consequências dessa infidelidade, 
mas não aquela consequência instantânea, 
aquela que até lhes pode dar prazer, 
mas sim aquela que pode acabar com uma família 
até quem sabe com a vossa própria felicidade.

domingo, 20 de novembro de 2011

O amor é...


"O amor é uma ternura continuada no tempo"
Pedro Frazão

Amor, atracção ou ambos?!?





É interessante... há uns dias perguntaram-me como se pode distinguir "amor" de "atracção"? Como é que eu podia ter a certeza que eu sentia "amor" e não "atracção"? Devo confessar que fiquei um bocado confusa com esta questão e muito mais ainda vinda da pessoa de quem veio... mas pronto... a questão é que na minha perspectiva ambas coisas não acontecem isoladamente e acredito que é possível sentir amor e atracção ao mesmo tempo. Passado já algum tempo desde que me colocaram esta pergunta e por não ter ficado indiferente, encontrei finalmente a minha própria explicação. É humano sentir uma certa confusão conceptual no diz respeito ao amor e atracção, até porque há pessoas que podem falar em amor para referir-se também ao desejo sexual, ao impulso que se sente pela outra pessoa. No entanto, para mim o amor não é uma mera intensificação da atracção, pois existe uma diferença qualitativa entre ambos conceitos a pesar de estarem relacionados, acho que grande parte das pessoas confunde estes dois conceitos baseando-se na ideia de um "amor romântico", caracterizado por uma paixão irresistível, com sentimentos intensos, intimidade, forte atracção física e actividade sexual. Para mim, a experiência amorosa requer dois componentes básicos: uma forte actividade emocional e um etiquetar da mesma como amor ou namoramento. É nesta última componente, que eu chamo de interpretação, que a atracção e o amor se podem (con)fundir. Ou seja, quando codificamos as emoções vividas como amor, em vez de atracção, desejo ou instinto. 

Acredito que manter uma relação é uma eleição pessoal, 
para a qual o bem-estar pessoal, a segurança e a auto-estima 
terão que ser premissas básicas para manter-la, 
e lutar por esses princípios é uma máxima na nossa vida.

sábado, 19 de novembro de 2011

Rosa Laranja...

... adoro as rosas cor laranja, transmitem energia positiva e boas vibrações. Esta em particular escolhida por Ele, é simplesmente linda. Adorei. Nenhuma rosa/flor esta demais, são um belo detalhe de um homem para qualquer mulher (seja ela, mãe, irmã, avó, namorada). E sabem o que é melhor de tudo? Quando a mesma é oferecida com carinho e amor. 

Simplesmente, adorei...

O amor é...

"O amor é dar o melhor de nós e aceitar a totalidade do outro"

Daniela Ferreira

sexta-feira, 18 de novembro de 2011

Retomando...



... para ser sincera não sei como começar novamente a escrever neste espaço... um espaço que considerava meu em qualquer altura do dia e inclusive em qualquer altura do ano. Um cantinho para mim própria, para compartilhar experiências, reflectir e muitas vezes desabafar... mas a minha vida tem estado a mudar, e com isso, tudo à minha volta também esta a mudar, quer eu queira quer não. As expectativas do futuro têm mudado aos poucos desde que juntei-me ao grupo dos psicólogos que não encontram estágio profissional e dediquei-me a explorar caminhos diferentes. E apesar de ainda não ter encontrado exactamente aquilo que pretendo fazer da minha vida, estou firmemente convencida que seja o for irei assegurar com as minhas mãos e dar tudo o melhor de mim. 

Ausentei-me durante este tempo todo devido à montanha russa dos últimos meses, em que o tempo parecia brigar-me uma partida e fazer com que o meu dia-a-dia não tivesse mais do que 24 horas, deixando-me sem vontade para fazer absolutamente mais nada do que descansar ou aproveitar para estar em família e com o namorado... uma fase dura, mas que ultrapassei felizmente com o apoio de todos os que estão à minha volta. 

Agora parece que vou ter uns dias para mim e, por isso, não podia deixar de aproveitar esta oportunidade para retomar essa maravilhosa aventura de escrever neste espaço e reencontrar nele algumas memorias que ainda permanecem vigorosamente presentes.